domingo, 30 de setembro de 2012

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

27 de Setembro - Dia Mundial do Turismo


Salto Utiariti, uma das mais belas cachoeiras do Brasil

Comemorado no dia 27 de setembro, o Dia Mundial do Turismo foi instituído pela OMT (Organização Mundial do Turismo), órgão que compõe o Sistema das Nações Unidas, em setembro de 1979. A escolha da data se deu em homenagem à implantação do Estatuto da organização.

O Turismo refere-se a viagens ou excursões realizadas, por prazer, a lugares que despertam interesse, por pessoas que recebem a denominação de turistas. É uma atividade relacionada ao entretenimento, onde as pessoas se divertem ao passearem por diferentes lugares, além de ser um fenômeno econômico e cultural que envolve pessoas.


Balneário Rio Verde, a poucos kilometros da cidade

Por outro lado, o turismo tem seu lado social, pois há uma troca simbólica imensa quando uma pessoa se desloca para um lugar diferente do que está acostumada a viver.

Além disso, as movimentações turísticas abrangem boa parte da economia de um local, pois ocasionam a circulação de um número bem maior de pessoas nas regiões visitadas, desse modo, a atividade faz com que aumentem os empregos, os investimentos na estrutura da cidade, melhorando a qualidade de vida das pessoas que ali vivem.


Ponte de Pedra, lugar mítico

Noite Cultural da Primavera acontece amanhã




quarta-feira, 26 de setembro de 2012

VII FEsTeatro acontece hoje no Centro Cultural


Acontece logo mais, às 19h, no Centro Cultural, a 7ª edição do FEsTeatro - Festival Estudantil de Teatro. O festival é promovido pela Apae e Teatro Ogan através do Ponto de Cultura Ninho do Sol, com o apoio do Departamento de Cultura da Secultur.

Com o tema "Em busca de igualdade. Estamos aqui!" o FEsTeatro tem o objetivo de promover a inclusão do deficiente na família, escola e sociedade.

O FEsTeatro é um dos três festivais de teatro que acontecem em nosso município e é o único festival do gênero no Estado que coloca as artes cênicas para promover a inclusão. "Queremos uma igualdade que reconheça as diferenças e uma diferença que não reproduza desigualdades."

Nesta noite serão três espetáculos concorrentes e um convidado que apresentarão roteiros onde o respeito às diferenças e a busca de inclusão e igualdade servem como momento de reflexão sobre o que é ser "normal".

Prestigie. Vá ao Teatro!

Para refletir!


"Não haja qualquer dúvida: o melhor destino que pode existir é o de Supervisor das nuvens. Recostado numa poltrona vai olhando o firmamento."

António Gala

Vem aí o Arraiá Comunitário da JP


Prestigie!

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

VII FEsTeatro promove a busca de igualdade


"Em busca de igualdade. Estamos aqui!" Com este tema, Campo Novo do Parecis se prepara para prestigiar a 7ª edição do FEsTeatro - Festival Estudantil de Teatro. Promovido pela Apae e Teatro Ogan através do Ponto de Cultura Ninho do Sol, com o apoio do Departamento de Cultura da Secultur, o FEsTeatro tem o objetivo de promover a inclusão do deficiente na família, escola e sociedade.

O FEsTeatro é um dos três festivais de teatro que acontecem em nosso município e é o único festival do gênero no Estado que coloca as artes cênicas para promover a inclusão. "Queremos uma igualdade que reconheça as diferenças e uma diferença que não reproduza desigualdades."

Nesta edição, serão cinco espetáculos que apresentarão roteiros onde o respeito às diferenças e a busca de inclusão e igualdade servem como momento de reflexão sobre o que é ser "normal".

O 7º FesTeatro acontece no dia 26 de setembro de 2012, às 19h, no Centro Cultural.

Prestigie. Vá ao Teatro!

Para refletir!


"Há aqueles cujos desejos se cumprem. O que interessa é desejar, por mais que nada haja de concreto."

Júlio Ceron

domingo, 23 de setembro de 2012

Museus em Diálogos e Conexões


Para refletir!


"E Deus disse: vou ajeitar a você um dom: vou pertencer você para uma árvore. E pertenceu-me. Escuto o perfume dos rios. Sei que a voz das águas tem sotaque azul. Sei botar cílio nos silêncios. Para encontrar o azul eu uso pássaros. Só não desejo cair em sensatez. Não quero a boa razão das coisas. Quero o feitiço das palavras."

Manoel de Barros

sábado, 22 de setembro de 2012

Para refletir!


"Transformai uma árvore em lenha que ela arderá; mas, a partir de então, não dará mais flores, nem frutos."

Lao-Tsé

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Skyrim - As Possibilidades da Arte!

Para refletir!


"A maior covardia de um homem é despertar o amor de uma mulher sem ter a intenção de amá-la."

Montesquieu

Praça da Cultura recebe o "Um poema em cada árvore"


A Mobilização Nacional "Um poema em cada árvore" será executada em 83 cidades, nas cinco regiões brasileiras. Em Campo Novo do Parecis o parceiro do projeto é o Teatro Ogan que, através do Ponto de Cultura Ninho do Sol, promoverá o "Um poema em cada árvore" na Praça da Cultura no dia 21 de setembro, homenagenado o Dia da Árvore, dia de reflexão e pensamento verde.

Participam desta ação 10 poetas do município e outros 15 poetas em âmbito nacional:
"A Vida" - João Vitor - Campo Novo do Parecis/MT
"Amor é Amar" - Giovana Elisa R. Galiassi - Campo Novo do Parecis/MT
"A Terra está de luto" - Iara Caroline de Oliveira Amorim - Campo Novo do Parecis/MT
"Aos Ventos" - Thales Oreste Nino Rodrigues - Campo Novo do Parecis/MT
"Coisas Certas" - Indianara Branco Vieira - Campo Novo do Parecis/MT
"Falando de Campo Novo" - Margarida Dias Silva - Campo Novo do Parecis/MT
"Minha Cidade" - Maria Eduarda Mateus do Nascimento - Campo Novo do Parecis/MT
"O Velho e Amigo Amor" - Denise Condorchua Tamada - Campo Novo do Parecis/MT
"Os Estudos" - Loren Eduarda Prades Santana - Campo Novo do Parecis/MT
"Sentimentos" - Victoria Eme Barrem Correa - Campo Novo do Parecis/MT
"rio sem dono" - Jair Barbosa - Belo Horizonte/MG
"Recital da Goiabeira" - Karline da Costa Batista - Aracati/CE
"abismo" - Rafael Luiz Zen - Brusque/SC
"Encantamento" - Luiz Otávio Oliani - Rio de Janeiro/RJ
"Memória afogada" - Clarice Paes - Campinas/SP
"O pouso do haikai" - Francisco Cleyson de Souza Gomes - Terezina/PI
"árvore" - Reginaldo Costa de Albuquerque - Campo Grande/MS
"Relíquia" - Robson Leandro Soda - Santa Cruz do Sul/RS
"Feriado" - Tatiana Wan-Der-Mass Guimaráes - Governador Valadares/MG
"Nuvens" - Tom Vital - Belo Horizonte/MG
"Alfabeto do Verde" - Sérgio Bernardo - Nova Friburgo/RJ
"Cochicho" - Rodrigo Domit - Rio de Janeiro/RJ
"Poema a Gonçalves Dias" - Valdeck Almeida de Jesus - Salvador/BA
"Transeuntes" - Leonardo Bruno de Araújo Santos - Arcoverde/PE
"Visão Nefasta" - Rosana Banharoli - Santo André/SP

Sobre o "Um poema em cada árvore"

Projeto de incentivo à leitura que acontece mensalmente desde agosto de 2010 e que consiste em pendurar poemas de autores desconhecidos em árvores de praças, ruas e calçadões da cidade de Governador Valadares. Surgiu a partir do esforço do poeta Marcelo Rocha em construir alternativas que ofereçam à sociedade acesso gratuito à leitura.

A idealização e coordenação é de Marcelo Rocha, tendo como assistentes de produção Andréia Rodrigues de Carvalho e Roberto César Ribeiro Chaves. A realização é do Instituto Psia.

Tendo por força o ineditismo do projeto - é o primeiro no país nesse formato, é inovador e complementa as formas tradicionais de leitura – o “Um poema em cada árvore” busca elevar os níveis de leitura e cultura da população brasileira. Busca ainda ampliar as possibilidades de leitura através da construção de alternativas que ofereçam à sociedade acesso gratuito à leitura e abre espaço para a divulgação da produção literária de escritores desconhecidos, valorizando e aproximando a poesia do grande público.

Finalista do Prêmio Vivaleitura 2011, concedido pelo Ministério da Educação, Ministério da Cultura e OEI (Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura), com patrocínio e execução da Fundação Santillana e apoio do Consed e da Undime, o Projeto já realizou 22 edições, com a participação de mais de 100 poetas de diversas cidades do Brasil.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Para refletir!


"Olha o outro com um olhar de confiança, um olhar luminoso, e ele verá toda a sua pessoa cheia de luz."

Anônimo

Democracia: Para refletir! - Brasil Carinhoso

Bom dia, dona Dilma!


Eu também assisti ao seu pronunciamento risonho e maternal na véspera do Dia das Mães. Como cidadã da classe média, mãe, avó e bisavó, pagadora de impostos escorchantes descontados na fonte no meu contracheque de professora aposentada da rede pública mineira e em cada Nota Fiscal Avulsa de Produtora Rural, fiquei preocupada com o anúncio do BRASIL CARINHOSO.

Brincando de mamãe Noel, dona Dilma? Em ano de eleição municipalista? Faça-me o favor, senhora presidentA! É preciso que o Brasil crie um mecanismo bastante severo de controle dos impulsos eleitoreiros dos seus executivos (presidente da república, governador e prefeito) para que as matracas de fazer voto sejam banidas da História do Brasil.

Setenta reais per capita para as famílias miseráveis que têm filhos entre 0 a 06 anos foi um gesto bastante generoso que vai estimular o convívio familiar destas pessoas, porque elas irão, com certeza, reunir sob o mesmo teto o maior número de dependentes para engordar sua renda. Por outro lado mulheres e homens miseráveis irão correndo para a cama produzir filhos de cinco em cinco anos. Este é, sem dúvida, um plano quinquenal engenhoso de estímulo à vagabundagem, claramente expresso nas diversas bolsas-esmola do governo do PT. É muito fácil dar bom dia com chapéu alheio. É muito fácil fazer gracinha, jogar para a plateia. É fácil e é um sintoma evidente de que se trabalha (que se governa, no seu caso) irresponsavelmente.

Não falo pelos outros, dona Dilma. Falo por mim. Não votei na senhora. Sou bastante madura, bastante politizada, sobrevivente da ditadura militar e radicalmente nacionalista. Eu jamais votei nem votarei num petista, simplesmente porque a cartilha doutrinária do PT é raivosa e burra. E o governo é paternalista, provedor, pragmático no mau sentido, e delirante. Vocês são adeptos do quanto pior, melhor. São discricionários, praticantes do bullying mais indecente da História do Brasil.

Em 1988 a Assembleia Nacional Constituinte, numa queda-de-braço espetacular, legou ao Brasil uma Carta Magna bastante democrática e moderna. No seu Art. 5º está escrito que todos são iguais perante a lei*. Aí, quando o PT foi ao paraíso, ele completou esta disposição, enfiando goela abaixo das camadas sociais pagadoras de imposto seu modus governandi a partir do qual todos são iguais perante a lei, menos os que são diferentes: os beneficiários das cotas e das bolsas-esmola.

A partir de vocês. Sr. Luís Inácio e dona Dilma, negro é negro, pobre é pobre e miserável é miserável. E a Constituição que vá para a pqp. Vocês selecionaram estes brasileiros e brasileiras, colocaram-nos no tronco, como eu faço com o meu gado, e os marcaram com ferro quente, para não deixar dúvida de que são mal-nascidos. Não fizeram propriamente uma exclusão, mas fizeram, com certeza, publicamente, uma apartação étnica e social.

E o PROUNI se transformou num balcão de empréstimo pró escolas superiores particulares de qualidade bem duvidosa, convalidadas pelo Ministério de Educação. Faculdades capengas, que estavam na UTI financeira e deveriam ter sido fechadas a bem da moralidade, da ética e da saúde intelectual, empresarial, cultural e política do País.

A Câmara Federal endoidou? O Senado endoidou? O STJ endoidou? O ex-presidente e a atual presidentA endoidaram? Na década de 60 e 70 a gente lutou por uma escola de qualidade, laica, gratuita e democrática. A senhora disse que estava lá, nesta trincheira, se esqueceu disto, dona Dilma? Oi, por favor, alguém pare o trem que eu quero descer!

Uma escola pública decente, realista, sintonizada com um País empreendedor, com uma grade curricular objetiva, com professores bem remunerados, bem preparados, orgulhosos da carreira, felizes, é disto que o Brasil precisa. Para ontem. De ensino técnico, profissionalizante. Para ontem. Nossa grade curricular é tão superficial e supérflua, que o aluno chega ao final do ensino médio incapaz de conjugar um verbo, incapaz de localizar a oração principal de um período composto por coordenação. Não sabe tabuada. Não sabe regra de três. Não sabe calcular juros. Não sabe o nome dos Estados nem de suas capitais. Em casa não sabe consertar o ferro de passar roupa. Não é capaz de fritar um ovo.

O estudante e a estudantA brasileiros só servem para prestar vestibular, para mais nada. E tomar bomba, o que é mais triste. Nossos meninos e jovens leem (quando leem), mas não compreendem o que leram. Estamos na rabeira do mundo, dona Dilma. Acorde! Digo isto com conhecimento de causa porque domino o assunto. Fui a vida toda professora regente da escola pública mineira, por opção política e ideológica, apesar da humilhação a que Minas submete seus professores. A educação de Minas é uma vergonha, a senhora é mineira (é?), sabe disto tanto quanto eu. Meu contracheque confirma o que estou informando.

Seu presente para as mães miseráveis seria muito mais aplaudido se anunciasse apenas duas decisões: um programa nacional de planejamento familiar a partir do seu exemplo, como mãe de uma única filha, e uma escola de um turno só, de doze horas. Não sabe como fazer isto? Eu ajudo. Releia Josué de Castro, A GEOGRAFIA DA FOME. Releia Anísio Teixeira. Releia tudo de Darcy Ribeiro. Revisite os governos gaúcho e fluminense de seu meio-conterrâneo e companheiro de PDT, Leonel Brizola. Convide o senador Cristovam Buarque para um café-amigo, mesmo que a Casa Civil torça o nariz. Ele tem o mapa da mina.

A senhora se lembra dos CIEPs? É disto que o Brasil precisa. De escola em tempo integral, igual para as crianças e adolescentes de todas as camadas, miseráveis ou milionárias. Escola com quatro refeições diárias, escova de dente e banho. E aulas objetivas, evidentemente. Com biblioteca, auditório e natação. Com um jardim bem cuidado, sombreado, prazeroso. Com uma baita horta, para aprendizado dos alunos e abastecimento da cantina. Escola adequada para os de zero a seis, para estudantes de ensino fundamental e para os de ensino médio, em instalações individuais para um máximo de quinhentos alunos por prédio. Escola no bairro, virando a esquina de casa. De zero a dezessete anos.

Dê um pulinho na Finlândia, dona Dilma. No aerolula dá pra chegar num piscar de olhos. Vá até lá ver como se gerencia a educação pública com responsabilidade e resultado. Enquanto os finlandeses amam a escola, os brasileiros a depredam. Lá eles permanecem. Aqui a evasão é exorbitante.

Educação custa caro? Depende do ponto de vista de quem analisa. Só que educação não é despesa. É investimento. E tem que ser feita por qualquer gestor minimamente sério e minimamente inteligente. Povo educado ganha mais, consome mais, come mais corretamente, adoece menos e recolhe mais imposto para as burras dos governos. Vale à pena investir mais em educação do que em caridade, pelo menos assim penso eu, materialista convicta. Antes que eu me esqueça e para ser bem clara: planejamento familiar não tem nada a ver com controle de natalidade. Aliás, é a única medida capaz de evitar a legalização do controle de natalidade, que é uma medida indesejável, apesar de alguns países precisarem recorrer a ela. Uberlândia, inspirada na lei de Cascavel, Paraná, aprovou, em novembro de 1992, a lei do planejamento familiar. Nossa cidade foi a segunda do Brasil a tomar esta iniciativa, antecipando-se ao SUS. Eu, vereadora à época, fui a autora da mesma e declaro isto sem nenhuma vaidade, apenas para a senhora saber com quem está falando.

Senhora PresidentA, mesmo não tendo votado na senhora, torço pelo sucesso do seu governo como mulher e como cidadã. Mas a maior torcida é para que não lhe falte discernimento, saúde nem coragem para empunhar o chicote e bater forte, se for preciso. A primeira chibatada é o seu veto a este Código Florestal, que ainda está muito ruim, precisado de muito amadurecimento e aprendizado. O planeta terra é muito mais importante do que o lucro do agronegócio e a histeria da reforma agrária fajuta que vocês estão promovendo. Sou fazendeira e ao mesmo tempo educadora ambiental. Exatamente por isto não perco a sensatez. Deixe o Congresso pensar um pouco mais, afinal, pensar não dói e eles estão em Brasília, bem instalados e bem remunerados, para isto mesmo.

E acautele-se durante o processo eleitoral que se aproxima. Pega mal quando um político usa a máquina para beneficiar seu partido e sua base aliada. Outros usaram? E daí? A senhora não é os outros. A senhora á a senhora, eleita pelo povo brasileiro para ser a presidentA do Brasil, e não a presidentA de um partidinho de aluguel, qualquer.

Se conselho fosse bom a gente não dava, vendia. Sei disto, é claro. Assim mesmo vou aconselhá-la a pedir desculpas às outras mães excluídas do seu presente: as mães da classe média baixa, da classe média média, da classe média alta, e da classe dominante, sabe por quê? Porque somos nós, com marido ou sem marido, que, junto com os homens produtivos, geradores de empregos, pagadores de impostos, sustentamos a carruagem milionária e a corte perdulária do seu governo tendencioso, refém do PT e da base aliada oportunista e voraz.

A senhora, confinada no seu palácio, conhece ao vivo os beneficiários da Bolsa-família? Os muitos que eu conheço se recusam a aceitar qualquer trabalho de carteira assinada, por medo de perder o benefício. Estou firmemente convencida de que este novo programa, BRASIL CARINHOSO, além de não solucionar o problema de ninguém, ainda tem o condão de produzir uma casta inoperante, parasita social, sem qualificação profissional, que não levará nosso País a lugar nenhum. E, o que é mais grave, com o excesso de propaganda institucional feita incessantemente pelo governo petista na última década, o Brasil está na mira dos desempregados do mundo inteiro, a maioria qualificada, que entrarão por todas as portas e ocuparão todos os empregos disponíveis, se contentando até mesmo com a informalidade. E aí os brasileiros e brasileira vão ficar chupando prego, entregues ao deus-dará, na ociosidade que os levará à delinquência e às drogas.

Quem cala, consente. Eu não me calo. Aos setenta e quatro anos, o que eu mais queria era poder envelhecer despreocupada, apesar da pancadaria de 1964. Isto não está sendo possível. Apesar de ter lutado a vida toda para criar meus cinco filhos, de ter educado milhares de alunos na rede pública, o País que eu vou legar aos meus descendentes ainda está na estaca zero, com uma legislação que deu a todos a obrigação de votar e o direito de votar e ser votado, mas gostou da sacanagem de manter a maioria silenciosa no ostracismo social, alienada e desinteressada de enfrentar o desafio de lutar por um lugar ao sol, de ganhar o pão com o suor do seu rosto. Sem dignidade, mas com um título de eleitor na mão, pronto para depositar um voto na urna, a favor do político paizão/mãezona que lhe dá alguma coisa. Dar o peixe, ao invés de ensinar a pescar, esta foi a escolha de vocês.

A senhora não pediu minha opinião, mas vai mandar a fatura para eu pagar. Vai. Tomou esta decisão sem me consultar. Num país com taxa de crescimento industrial abaixo de zero, eu, agropecuarista, burro-de-carga brasileiro, me dou o direito de pensar em voz alta e o dever de me colocar publicamente contra este cafuné na cabeça dos miseráveis.

Vocês não chegaram ao poder agora. Já faz nove anos, pense bem! Torraram uma grana preta com o FOME ZERO, o bolsa-escola, o bolsa-família, o vale-gás, as ONGs fajutas e outras esmolas que tais. Esta sangria nos cofres públicos não salvou ninguém? Não refrescou niente? Gostaria que a senhora me mandasse o mapeamento do Brasil miserável e uma cópia dos estudos feitos para avaliar o quantitativo de miseráveis apurado pelo Palácio do Planalto antes do anúncio do BRASIL CARINHOSO. Quero fazer uma continha de multiplicar e outra de dividir, só para saber qual a parte que me toca nesta chamada de capital. Democracia é isto, minha cara. Transparência. Não ofende. Não dói.

Ah, antes que eu me esqueça, a palavra certa é PRESIDENTE. Não sou impertinente nem desrespeitosa, sou apenas professora de latim, francês e português. Por favor, corrija esta informação. Se eu mandar esta correspondência pelo correio, talvez ela pare na Casa Civil ou nas mãos de algum assessor censor e a senhora nunca saberá que desagradou alguém em algum lugar. Então vai pela internet. Com pessoas públicas a gente fala publicamente para que alguém, ciente, discorde ou concorde. O contraditório é muito saudável. Não gostei e desaprovo o BRASIL CARINHOSO. Até o nome me incomoda. R$2,00 (dois reais) por dia para cada familiar de quem tem em casa uma criança de zero a seis anos, é uma esmolinha bem insignificante, bem insultuosa, não é não, dona Dilma?

Carinho de presidentA da república do Brasil neste momento, no meu conceito, é uma campanha institucional a favor da vasectomia e da laqueadura em quem já produziu dois filhos. É mais creche institucional e laica. Mais escola pública e laica em tempo integral com quatro refeições diárias. É professor dentro da sala de aula, do laboratório, competente e bem remunerado. É ensino profissionalizante e gente capacitada para o mercado de trabalho.

Eu podia vociferar contra os descalabros do poder público, fazer da corrupção escandalosa o meu assunto para esta catilinária. Mas não. Prefiro me ocupar de algo mais grave, muitíssimo mais grave, que é um desvio de conduta de líderes políticos desonestos, chamado populismo, utilizado para destruir a dignidade da massa ignara. Aliciar as classes sociais menos favorecidas é indecente e profundamente desonesto. Eles são ingênuos, pobres de espírito, analfabetos, excluídos? Os miseráveis são. Mas votam, como qualquer cidadão produtivo, pagador de impostos. Esta é a jogada. Suja.

A televisão mostra ininterruptamente imagens de desespero social. Neste momento em todos os países, pobres, emergentes ou ricos, a população luta, grita, protesta, mata, morre, reivindicando oportunidade de trabalho. Enquanto isto, aqui no País das Maravilhas, a presidente risonha e ricamente produzida anuncia um programa de estímulo à vagabundagem.

Estamos na contramão da História, dona Dilma! Pode ter certeza de que a senhora conseguiu agredir a inteligência da minoria de brasileiros e brasileiras que mourejam dia após dia para sustentar a máquina extraviada do governo petista.

Último lembrete: a pobreza é uma consequência da esmola. Corta a esmola que a pobreza acaba, como dois mais dois são quatro.

Não me leve a mal por este protesto público. Tenho obrigação de protestar, sabe por quê? Porque, de cada delírio seu, quem paga a conta sou eu.

Atenciosamente, Martha de Freitas Azevedo Pannunzio
Fazenda Água Limpa, Uberlândia, em 16-05-2012
OBS.:- foi entregue em mãos à PRESIDENTE.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Para refletir!


"Passei tanto tempo te procurando, não sabia onde estavas.
Olhava o infinito, não te via e pensava comigo mesmo: "Será que Tu existes?"
Não me encontrava na busca e prosseguia.
Tentava te encontrar nas religiões e nos templos.
E Tu não estavas.
Te busquei através de sacerdotes e pastores e não Te encontrei.
Senti-me só e desesperado.
Te descri.
Na descrença Te ofendi.
Na ofensa, tropecei e caí.
Na queda, senti-me fraco.
Na fraqueza, pedi socorro.
No socorro, encontrei amigos.
Nos amigos encontrei carinho.
No carinho, vi nascer o amor.
Com o amor vi um mundo novo.
No mundo novo, resolvi doar.
Doando, recebi.
Recebendo, me senti feliz.
Feliz, encontrei a paz.
E com paz, foi que te enxerguei, pois dentro de mim Tu estavas.
E sem Te procurar... foi que Te encontrei."

Anônimo

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Planalto troca Ana de Hollanda por Marta Suplicy na Cultura

Demissão ocorreu após encontro entre ministra e presidente Dilma Rousseff.



O Palácio do Planalto anunciou na tarde desta terça (11) que a ministra da Cultura, Ana de Hollanda, deixou o cargo e será substituída pela senadora Marta Suplicy (PT-SP). A informação foi dada pela ministra da Comunicação Social, Helena Chagas.

A demissão de Ana de Hollanda foi consumada após uma audiência da ministra com a presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto. A posse de Marta Suplicy aconteceu hoje, quinta (13), às 11h.

De acordo com a ministra Helena Chagas, Dilma conversou com Marta por telefone nesta terça, na hora do almoço, para “sacramentar” o convite.

Segundo informou o blog de Cristiana Lôbo, o vazamento de uma carta enviada em 27 de agosto por Ana de Hollanda para a ministra Miriam Belchior (Planejamento), reivindicando verbas para a Cultura, incomodou o governo e em especial a presidente, o que teria motivado a demissão.

No dia 22 de agosto, ela esteve às 17h no Palácio do Planalto, segundo agenda oficial da presidente. Já em 30 de agosto, Marta passou a tarde com Dilma no Palácio da Alvorada, encontro que não constou da agenda presidencial.

Leia abaixo a íntegra da nota divulgada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência a respeito da troca das ministras.

Nota à imprensa

A presidenta da República, Dilma Rousseff, convidou a senadora Marta Suplicy para ocupar o Ministério da Cultura. Ela substituirá a artista e compositora Ana de Hollanda, a quem a presidenta agradeceu hoje o empenho e os relevantes serviços prestados ao país à frente da pasta desde janeiro de 2011.

Dilma Rousseff manifestou confiança de que Marta Suplicy, que vinha dando importante colaboração ao governo no Senado, dará prosseguimento às políticas públicas e aos projetos que estão transformando a área da Cultura nos últimos anos.

Priscilla Mendes
Do G1, em Brasília
Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República

Para refletir!


"A inteligência é o farol que nos guia, mas é a vontade que nos faz caminhar."

Anônimo

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Para refletir!


"O pensamento positivo pode vir naturalmente para alguns, mas também pode ser aprendido e cultivado. Mude seus pensamentos e você mudará seu mundo."

Anônimo

domingo, 9 de setembro de 2012

Leitura - As Possibilidades da Arte!


Uma ilustração que diz tudo!

Ninho do Sol promove 2º FEsCanção


É com muita satisfação que estamos lançando o 2º FesCanção - Festival Estudantil da Canção de Campo Novo do Parecis. O 2° FEsCanção é uma realização do Teatro Ogan através do Ponto de Cultura Ninho do Sol em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo através do Departamento de Cultura.

Seus objetivos são o de despertar no meio estudantil o interesse em cantar e interpretar artistas; proporcionar aos estudantes do município a oportunidade de competirem com o mais elevado espírito musical e artístico-cultural; e promover o intercâmbio entre os estudantes do município através da cultura artístico-musical.

No ano de 2011, em sua 1ª edição, contamos com 08 escolas participando, totalizando ao final do evento cerca de 3.000 pessoas envolvidas direta e indiretamente. Neste ano de 2012, esperamos contar com uma participação mais efetiva das escolas e institutos de Educação, assim como atrair um público ainda maior para prestigiar os talentos que se encontram nas escolas de Campo Novo do Parecis.

Iniciando esse processo, foram encaminhados às escolas do município o Regulamento do Festival para que o mesmo seja analizado e para que as entidades que queiram participar preencham o Termo de Adesão do Evento.

As seletivas serão realizadas de forma flexível, conforme datas sugeridas pelas próprias entidades participantes e de acordo com as possibilidades da Comissão Organizadora. O 2° Fescanção tem data prevista para iniciar suas Seletivas à partir do dia 17 de setembro.

Poderão se inscrever no 2º FEsCanção alunos devidamente matriculados nas redes municipal, estadual, federal e particular de ensino do município de Campo Novo do Parecis, sendo: solo, dupla ou grupo, nas categorias Infantil (06 a 12 anos) e Juvenil e adulto (acima de 13 anos).

Maiores informações:
Com a Direção de cada unidade escolar.

Com Silvia Schneiders
Produção Executiva do 2° FesCanção
Fone: 3904-2095 ou 9613-9548
E-mail: silvinha_schneiders@hotmail.com

Para refletir!


"Uma só gota dágua tem a mesma solenidade que a cascata inteira."

Anônimo

Oficinas Sesc de setembro - Aldeia Guaná


Oficina:
Dança Contemporânea - Repertório e Processo de Trabalho da Cia Mário Nascimento

A oficina propõe a aplicação do código de movimento da Cia. como a preparação corporal inicial aos participantes. A partir dessa vivência, o exercício de partituras já construídas e também a incorporação de comandos direcionados ao desenvolvimento de construções físicas mais instantâneas.
Público: Estudantes de dança nível intermediário a avançado.

18/09 - 15h às 17h - Inscrições Gratuitas pelo email: lamartins@sescmatogrosso.com.br

Oficina:
Dança Contemporânea e Improvisação
Com Cia Mário Nascimento (MG)

Oficina para bailarinos que queiram aperfeiçoamento em dança contemporânea. O enfoque utilizado por Rosa Antuña é a qualidade de movimento, acabamento e precisão técnica, que serão utilizados como elementos para uma improvisação em dança com qualidade e refinamento.

18/09 - 10h às 12h - Inscrições Gratuitas pelo email:
lamartins@sescmatogrosso.com.br

Oficina:
Arte Integrada
Com Cia Mário Nascimento (MG)

A proposta é a fusão das linguagens da dança, teatro e voz. Utiliza-se técnica básica em dança contemporânea, jogos teatrais de improvisação e exercícios vocais.
Público: Bailarinos, atores e cantores

18/09 - 18h às 21h - Inscrições Gratuitas pelo email:
lamartins@sescmatogrosso.com.br

Curso:
Figurinos Cenográficos
Com Marina Reis (SP)

Marina Reis, figurinista e representante brasileira na exposição Extreme Costumes da última Quadrienal de Praga, tem como característica do seu trabalho, o uso de materiais não convencionais para a criação e confecção dos seus trabalhos. Nesta oficina, abordará os processos criativos de figurinos não convencionais com referências teóricas contemporâneas (em artes visuais, cinema, música e moda) e técnicas de confecção no uso de materiais convencionais e alternativos (texturas, cromática, e possibilidades de significações de objetos) para a elaboração de projetos orientados em grupo.

26 a 30/09 - 14h às 18h - Inscrições Gratuitas pelo email:
lamartins@sescmatogrosso.com.br

sábado, 8 de setembro de 2012

Ninho do Sol promove "Um poema em cada árvore"



Projeto de incentivo à leitura que acontece mensalmente desde agosto de 2010 e que consiste em pendurar poemas de autores desconhecidos em árvores de praças, ruas e calçadões da cidade de Governador Valadares. Surgiu a partir do esforço do poeta Marcelo Rocha em construir alternativas que ofereçam à sociedade acesso gratuito à leitura.

A idealização e coordenação é de Marcelo Rocha, tendo como assistentes de produção Andréia Rodrigues de Carvalho e Roberto César Ribeiro Chaves. A realização é do Instituto Psia.

Tendo por força o ineditismo do projeto - é o primeiro no país nesse formato, é inovador e complementa as formas tradicionais de leitura – o “Um poema em cada árvore” busca elevar os níveis de leitura e cultura da população brasileira. Busca ainda ampliar as possibilidades de leitura através da construção de alternativas que ofereçam à sociedade acesso gratuito à leitura e abre espaço para a divulgação da produção literária de escritores desconhecidos, valorizando e aproximando a poesia do grande público.

Finalista do Prêmio Vivaleitura 2011, concedido pelo Ministério da Educação, Ministério da Cultura e OEI (Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura), com patrocínio e execução da Fundação Santillana e apoio do Consed e da Undime, o Projeto já realizou 22 edições, com a participação de mais de 100 poetas de diversas cidades do Brasil.

Repercussão nacional e internacional

O projeto recebeu destaque em alguns veículos da internet, como o site da Editora Blocos, Clube dos Escritores de Ipatinga, Circuito Fora do Eixo, Clube do Livro de Salvador, Barkaça (Divinópolis), Galinha Pulando (Salvador), Espaço Fluxo (BH), Coletivo Fórceps (Sabará), Triplov (Portugal) e 23 (vinte e três) blogues pessoais. Ainda gerou matérias no Diário do Rio Doce e no Jornal Hoje em Dia (BH), O Jornal (Alagoas), além de entrevista na Rádio UFMG Educativa.


"Um poema em cada árvore" em Campo Novo do Parecis

O projeto será executado em 83 cidades, nas cinco regiões brasileiras. Em nosso município, o parceiro do projeto é o Teatro Ogan que, através do Ponto de Cultura Ninho do Sol, promoverá o "Um poema em cada árvore" na Praça da Cultura no dia 21 de setembro, homenagenado o Dia da Árvore, dia de reflexão e pensamento verde.

Aguardem maiores informações!

Mimetismo - As Possibilidades da Arte!


Olhar perfeito do fotógrafo!

Centro Cultural realiza a Noite da Primavera


Para refletir!


"Aprender a nunca continuar. Saber começar a cada instante é o segredo de jamais cair na rotina."

Anônimo

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Encontro Nacional de Contadores - Programação Quarta

Os espetáculos de Contação de Histórias serão apresentados durante os períodos matutino, vespertino e noturno.


As escolas da nossa capital e a comunidade cuiabana terão oportunidade de assistir gratuitamente aos espetáculos, com grupos de contadores de histórias do interior, da capital e de outros Estados. As instituições educacionais terão um prazo, para agendar a visita a Biblioteca Estadual Estevão de Mendonça, com direito a assistirem duas apresentações no período escolhido.

Programação de Quarta-feira - 05 de setembro

Grupo: Aline Maciel e Sig Schaitel - SC
Folcloreando...
"Folcloreando" é um espetáculo de contação de histórias em que elementos da cultura popular brasileira são apresentados através de músicas, quadras populares, cordel e, é claro, histórias. De norte a sul, Aline e Sig passeiam pelos costumes, pela cultura e pelo jeito peculiar do povo brasileiro, sempre com muita animação. Vamos folclorear?
Horário: 9h

Grupo: Wanderson Lana e Thiago Silva - Cia. Faces – MT
Histórias pra não dar certo...
Duas histórias sobre amores impossíveis: O Cachorro Basset e a Gata Persa da casa vermelha da rua de baixo e A Sereia e o Pássaro surgem como um Romeu e Julieta contemporâneo, trazendo a força de seres do universo fantástico lutando contra o que parece impossível; reiterando o amor e lutando contra suas próprias certezas.
Horário: 9h30

Grupo: Carlos Godoy - Cia. Mapinguary – SP
Conte Outra Vez...
Contação de histórias com contos populares. Maria Borralheira, O Homem do Saco e o Boneco do Mapinguari surgem na platéia para contar sua própria história.
Horário: 15h

Grupo: Elaine Guarani e Augusto Figliaggi – Cia. Arte Negus - MT
Esses Viajantes e suas Historietas de Papel...
Se trata de contações de histórias organizadas pela Cia Arte Negus a partir de contos de domínio público. Cabeça e Magreta são dois viajantes. Andaram por vários locais do Brasil, e descobriram que o que faz cada um desses lugares serem encantadores são as pessoas que neles vivem. Pessoas que são feitas de histórias. Desse modo estão sempre dispostos a tirarem de suas malas os causos que aprenderam em suas viagens, pois sabem que eles podem servir de matéria prima para outras pessoas construírem a si mesmas.
Horário: 15h30

Grupo: Fernanda Munhão – SP
No Emaranhado da Paixão...
A apresentação é destinada ao público adulto e trata das emoções humanas, cuja sensibilidade é aflorada pela paixão, tema principal desse emaranhado de histórias.
Horário: 19h

Grupo: Rosane Castro – RS
Histórias Que Minha Avó Contava...
É um espetáculo que trás histórias guardadas no baú das lembranças. Um mergulho na memória, na tradição e nas histórias narradas oralmente, valorizando o saber popular, deslumbrando a lembrança e mexendo com o imaginário de crianças e adultos.
Horário: 19h30

Para refletir!


"Nada mais terrível do que um homem murado dentro de si mesmo. Aquele que corta toda a comunicação profunda com os outros, que se isola, que se fecha, para se tornar inacessível, é o mais infeliz dos homens."

Anônimo

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

O Rádio irá invadir as praças de Cuiabá e Chapada dos Guimarães

Grupo La Mínima apresenta "Rádio Varieté" na praça Alencastro em Cuiabá e Praça Dom Wunibaldo em Chapada dos Guimarães.


Música, dança, teatro de bonecos, circo teatro e entradas clássicas de palhaço e é claro o rádio, foram as principais referências da pesquisa do Grupo La Mínima de São Paulo que se apresenta nesta quinta-feira (06/09) na Praça Alencastro as 10h30 o espetáculo “Rádio Varieté”. O trabalho tem a supervisão geral do músico e artista multifacetado Antônio Nóbrega.

Já na sexta-feira, feriado da Independência, a população Chapadense recebe a trupe na praça Central as 16h para o encerramento da Turnê no Centro Oeste.

"Rádio Varieté" é uma homenagem ao palhaço brasileiro e ao rádio, meio de comunicação popular por excelência, que persiste na sua importância, onde artistas e público farão parte de um programa sobre simples memórias, desejos e emoções, que constroem a grande e complexa relação humana dos cidadãos comuns.

A viabilização da circulação só foi possível através do grupo ter sido contemplado pelo prêmio Funarte Artes na Rua Circo, Dança e Teatro via edital Procultura. O Apoio local é da Prefeitura de Cuiabá e Secretaria Municipal de Cultura.

O Grupo

A dupla Domingos Montagner e Fernando Sampaio conheceram-se no Circo Escola Picadeiro em São Paulo, onde iniciaram a dupla de palhaços. Ali criaram e levaram às ruas, reprises, entradas e outros números circenses, desenvolvidos sob a orientação do Mestre Roger Avanzi, o Palhaço Picolino.

Montagner já participou na televisão com pequenos papéis nas séries Força-Tarefa e A Cura. Protagonizou a minissérie Brado Retumbante e alcançou o sucesso com a excelente atuação como cangaceiro Herculano da novela Cordel Encantado. Recentemente, também participou do seriado Divã, em que fez Carlos, o amante da protagonista Mercedes, vivida pela atriz Lília Cabral.

Troca de Saberes e Experiências

Após a apresentação, o grupo La Mínima recebe os artistas, produtores culturais e interessados em conhecer mais o processo de trabalho desta dupla de palhaços que têm seu humor calcado na comédia física e na tradição dos palhaços de picadeiro no Museu da Imagem e do Som de Cuiabá (MISC).

O objetivo deste encontro, é demonstrar através de clássicas entradas de palhaços e outras habilidades próprias da arte do palhaço (como cascatas, claques), um pouco do trabalho de comicidade que é desenvolvido pelo grupo e capacidade do palhaço em adaptar-se a formas dramatúrgicas distintas.

Serviços:
Espetáculo “Rádio Varieté”
Cuiabá: 06/09 – Quinta-feira - Praça Alencastro
Horário: 10h30
Chapada dos Guimarães: 07/09 – Sexta-feira (feriado) - Praça Dom Wunibaldo – Centro
Horário: 16h

Conferência La Mínima
Cuiabá: 06/09 – Quinta-feira – MISC (Museu da Imagem e do som de Cuiabá)
Horário: 15h
O Misc fica na rua Voluntários da Pátria, 75 equina com a rua Sete de Setembro no Centro Histórico da capital.
Mais informações: 65 3028-6286 ou 8409-9630

Encontro Nacional de Contadores - Programação Terça

Os espetáculos de Contação de Histórias serão apresentados durante os períodos matutino, vespertino e noturno.


As escolas da nossa capital e a comunidade cuiabana terão oportunidade de assistir gratuitamente aos espetáculos, com grupos de contadores de histórias do interior, da capital e de outros Estados. As instituições educacionais terão um prazo, para agendar a visita a Biblioteca Estadual Estevão de Mendonça, com direito a assistirem duas apresentações no período escolhido.

Programação de Terça-feira - 04 de setembro

Grupo: Carlos Godoy - Cia. Mapinguary – SP
Conte Outra Vez...
Contação de histórias com contos populares. Maria Borralheira, O Homem do Saco e o Boneco do Mapinguari surgem na platéia para contar sua própria história.
Horário: 9h

Grupo: Vinício Rangel - Cia. Grite/Trupe do Rei - MT
O Menino e o Poeta...
A Peça é um monólogo cujo texto é uma colagem de contos, poesias e brincadeiras populares levadas em cena, cuja interatividade é a proposta máxima do espetáculo. O andarilho Contácio é quem narra as histórias trazendo para o palco algumas crianças da platéia que representarão as personagens, como por exemplo, no conto "Num pacato Vilarejo".
Horário: 9h30

Grupo: Fernanda Munhão – SP
Vindas e idas das histórias divertidas...
A sessão de contação de histórias é destinada às crianças que pretendem se divertir com as histórias clássicas da literatura infantil e da literatura popular, fazendo do riso o ingrediente principal.
Horário: 15h

Grupo: Karina Figueredo e Maurício Ricardo – MT
Forró de Histórias...
A batida do pandeiro, o rebuliço do triângulo e o chacoalhar do caxixi, avisam que o Forró de Histórias vai começar. Os encantos de cada personagem, o cenário de cada história e as macaquices do enredo nos preparam para o encantamento do contar. Os sapos pulam, o leão e o ratinho se entrelaçam, a onça e o macaco se atracam e a cigarra e a formiga se abraçam. É o som do forró, é o canto do coco é são as vozes dos contadores prontos para forrozear.
Horário: 15h30

Grupo: Aline Maciel e Sig Schaitel - SC
Folcloreando...
"Folcloreando" é um espetáculo de contação de histórias em que elementos da cultura popular brasileira são apresentados através de músicas, quadras populares, cordel e, é claro, histórias. De norte a sul, Aline e Sig passeiam pelos costumes, pela cultura e pelo jeito peculiar do povo brasileiro, sempre com muita animação. Vamos folclorear?
Horário: 19h

Grupo: Luis Carlos Ribeiro - Saringangá Produções – MT
A Mala de Fugir e Outras Histórias...
É um espetáculo cênico musical de contação de histórias, de autoria de Luiz Carlos Ribeiro. Trata-se de uma coletânea de histórias, contos, lendas indígenas, que serão narradas/contadas pelos atores e músicos.
Horário: 19h30