domingo, 30 de outubro de 2011

Colegiados de Teatro e Circo - Renovação


O regimento interno do CNPC define que a cada dois anos se renove em 100% os nomes dos representantes dos colegiados, no entanto, o documento não define como esse processo deve ocorrer. Por essa razão, a direção do Conselho solicitou contribuições dos colegiados para que o processo seja definido. Os colegiados são formados por 15 representantes da sociedade e 5 do governo.

A coordenadora-geral do CNPC afirmou aos presentes que o Ministério da Cultura possui uma proposta, mas que a participação das áreas é fundamental para o processo. “Estamos pensando em realizar fóruns setoriais em abril do ano que vem, para que ocorra a renovação dos colegiados e a instalação dos colegiados para áreas que ainda não o possuem, mas são 19 áreas, portanto, bem complexo, e por isso ainda não os definimos. Para tanto, contamos com a colaboração dos segmentos e com a parceria de estados e municípios”, disse Maria Helena.

Os representantes de teatro afirmaram preferir que a renovação dos assentos nos colegiados ocorram nos moldes da anterior, com a realização de pré-conferências setoriais para a definição dos representantes regionais. “Não importa se isso ocorrer em 2012 ou 2013. Precisamos garantir a representatividade e participação democrática de todo o setor. Não se trata em legislar em causa própria, querendo a ampliação dos mandatos, se trata de preservar um modelo que foi eficaz no ano passado”, disse Virginia Menezes.

Opinião semelhante foi percebida no colegiado de circo. Para os representantes do segmento é necessário e fundamental que se realize assembléias estaduais para a definição dos delegados regionais. Eles afirmaram ainda que o Ministério da Cultura promova um amplo processo de mobilização para que se garanta o caráter representativo e participativo para a próxima formação do colegiado.

Para refletir - Crianças da Terra: África do Sul!


"Não quero adultos, nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto;
e velhos, para que nunca tenham pressa."

Oscar Wilde

sábado, 29 de outubro de 2011

Colegiados de Teatro e Circo - Oficina do Plano Nacional de Cultura


As contribuições do colegiado de dança para o caderno de metas do PNC faz parte do processo de consulta pública encerrada no dia 20 de outubro. Todo esse esforço será apresentado na oficina do Plano Nacional de Cultura realizada pela a Secretaria de Políticas Culturais.

Para participar desse momento, o colegiado de circo definiu os nomes dos representantes Flávio Viana e Silva e Xisto José Pinto Costa. Já o segmento de teatro definiu os nomes de Marcio Silveira e Paulo Ricardo. Após esse encontro e das definições realizadas nesse último momento, será redigida a versão final que será apresentada ao plenário do CNPC na 16ª e última reunião do conselho em 2011, nos dias 28 e 29 de novembro.

Para refletir - Crianças da Terra: Uruguai!


"O segredo da genialidade é carregar o espírito da infância na maturidade."

Thomas Huxley

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Quinto Céu - Pré-apresentação


A Cia de Arte Flor de Menina realizou na noite desta terça (25/10) a pré-apresentação da coreografia "Quinto Céu", que ocorreu no Centro Cultural de Campo Novo do Parecis, na Noite Cultural do Livro e da Leitura.


Lá do meu céu eu te envolverei na noite
e te embalarei em teus sonhos...

Em comemoração à Semana Nacional do Livro e da Biblioteca, que ocorre entre os dias 24 a 30 de outubro deste ano, o evento contou com apresentações de balé, dança do ventre, axé, dança de rua, capoeira, música, contação de histórias e poesias.


Larissa Gimenes, em "Quinto Céu"

Voltado ao balé clássico, "Quinto Céu" contará a história do lugar onde residem as hostes de anjos e como eles cantam louvor a Deus durante a noite, pois durante o dia a tarefa de dar glória a Deus nas alturas é dos homens.

Por Fábio Lima, oficineiro de Artes Cênicas

Colegiados de Teatro e Circo - Metas do Plano Nacional de Cultura


Além do encontro com Antonio Grassi, os representantes também tiveram como objetivo debater e propor novas metas para o caderno de diretrizes do Plano Nacional de Cultura. As contribuições feitas durante a reunião serão analisadas pela Secretaria de Políticas Culturais e, após a sistematização, serão apresentadas dentro da Oficina do PNC, marcada para os dias 7 e 8 de novembro.

A coordenadora-geral do CNPC, Maria Helena Signorelli, avaliou de maneira positiva a participação dos colegiados no processo de consulta do plano de metas do PNC. Antes de Teatro e Circo, já haviam se reunido os setores de Música, Moda, Artes Visuais e Dança. “Sem dúvida é um momento muito importante, pois os colegiados estão tendo a oportunidade de realizar efetivamente as relações entre os planos setoriais e o Plano Nacional”.

Entre as contribuições realizadas pelo segmento de teatro estão metas que valorizam o caráter educativo e que promovem a formação de novos atores. Para a representante do colegiado e conselheira no Conselho Nacional de Políticas Culturais, Virginia Menezes, é preciso investir em curso técnicos para a formação e capacitação de profissionais. Outra meta sugerida pelo colegiado é a melhoria e o aumento dos equipamentos culturais para o teatro. Neste ponto, porém, Virginia faz uma ressalva.

“É muito importante ressaltar que a metas não podem ser vistas e analisadas sob o ponto de vista meramente quantitativo, mas também, e talvez mais importante, precisamos enfocar o caráter qualitativo dessa metas, pois não adianta aumentar o quantitativo de salas de teatros, por exemplo, sem que se dê condições de grupo e artistas de se apresentarem lá”, frisou Virginia.

Já os representantes do colegiado de circo focaram seus debates, análises e contribuições ao caderno de metas do PNC em ações que promovam a atividade circense, contribuam para a valorização do profissional do circo e para a criação de um fundo emergencial que ampare artistas em caso de acidentes de trabalho.

As possibilidades da Arte - Paródia

II Conferência Municipal da Criança e do Adolescente

Para refletir - Crianças da Terra: Peru!


"Certas recordações são como os amigos comuns, sabem fazer reconciliações."

Marcel Proust

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Colegiados de Teatro e Circo - Presidente da Funarte, Antonio Grassi, participa da reunião dos representantes dos dois setoriais


Brasília recebeu nesta quarta-feira, 26 de outubro, a Reunião Ordinária dos colegiados setoriais de Teatro e Circo, cujo objetivo foi discutir as metas a serem apresentadas ao Plano nacional de Cultura. Além da discussão das metas, os representantes das duas áreas tiveram encontro importante com o presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte), Antonio Grassi.

Grassi apresentou as ações da Funarte para os segmentos, assim como um debate em torno do projeto de lei que institui o Procultura (PL 6722/10). O projeto de lei entrou na pauta de discussão, pois no próximo dia 8 de novembro haverá seminário sobre o tema na Câmara dos Deputados, com a presença do relator do projeto, o deputado federal Pedro Eugênio (PT-PE) e a participação da classe artística.

“É muito importante essa troca entre o poder público e a sociedade civil, assim podemos afinar o discurso e praticar um exercício de adequação dos anseios desse público a nossas políticas, ações e programas. E, sem dúvida, esse encontro também é positivo no sentido de esclarecer possíveis dúvidas em relação ao orçamento, FNC, Fundos Setoriais, entre outros assuntos relevantes”, afirmou Grassi.

Para a área de circo, o presidente da vinculada destacou o Programa CulturaPrev, que se constituirá de um plano de previdência privada para o artista com possibilidade de dedução no imposto de renda. Ele ressaltou que apesar de se encontrar em um estágio inicial, o projeto tem avançado satisfatoriamente nos debates com outras áreas e que seria interessante que os artistas circenses tomarem conhecimento sobre o programa e busquem formas de contribuir com a proposta.

Noite Cultural do Livro e da Leitura

Democracia: para refletir!

Primeira Prefeitura de Campo Novo do Parecis é tombada como Patrimônio Histórico e Artístico Estadual


Exposição Etnográfica "Cultura e Tradição Paresí-Haliti"

Um sonho antigo da classe cultural de Campo Novo do Parecis se efetivou no último dia 18 de outubro. Trata-se do tombamento, como Patrimônio Histórico e Artístico Estadual, da "Casa da Memória", local onde funciona atualmente o Museu Histórico do Parecis.

A notícia foi comemorada no meio cultural, já que o pedido para tombamento como patrimônio histórico do município vem de longa data, quando um grupo de pessoas representadas pelas professoras Maria das Graças Fay, Sandra Paim e Angelita Nirvane realizaram um levantamento do local que tem em seu histórico, relações diretas com o início da colonização em Campo Novo do Parecis e região.

Em 2008, na gestão do então Prefeito Stefanelo, foi encaminhado à Secretaria de Estado de Cultura (SEC), um ofício solicitando tombamento deste espaço de memória, assim como o tombamento de outros locais de importância histórica para o município: Ponte de Pedra e Cidade de Pedra, Abrigo da Prainha e Abrigo da Véia Péia, Igreja de São José e Salto Utiariti.

O processo de tombamento se efetivou quando da presença da coordenadora de patrimônio da SEC, Maria Antúlia Leventi, na I Conferência Municipal de Cultura, em setembro deste ano, quando novamente foi solicitado e encaminhado pelo Governo Municipal, a Carta de Anuência para o tombamento da Casa da Memória.


Pequeno Histórico de ocupação da Casa da Memória

1982/86: Primeira Escola Municipal;
1987/88: Subprefeitura;
1989: Primeira Prefeitura Municipal;
1989: Primeira Câmara Municipal;
1989/91: Primeiro Posto de Correios;
1991/92: INDEA;
1994/95: Primeiro Posto da 22ª CIRETRAN;
1994/95: Subagência da CEMAT;
1993/00: Departamento de Água;
1994/98: FUNSEM;
1999/00: GRAMUVI;
2001: EMPAER;
2005/07: Departamento de Turismo;
2009/2011: Museu Histórico do Parecis.

Abaixo, o conteúdo da Portaria nº 057/2011, que efetivou o tombamento:


O SECRETÁRIO DE ESTADO DE CULTURA DE MATO GROSSO, no uso das atribuições que lhe confere o art.71, II, da Constituição Estadual, combinada com a Lei nº 9.107, de 31 de março de 2009, e,

Considerando que os procedimentos referenciais técnicos constitutivos do Processo de Tombamento N°. 790437/2008, em tramitação nesta Secretaria nos termos da Lei n° 9.107/2009, e estudos da Coordenadoria de Preservação do Patrimônio Histórico Cultural que concluem pela proteção dos bens, logradouros e paisagens inseridos na área a ser tutelada pelo poder público estadual, conforme especificado no referido processo;

Considerando que na forma estabelecida no artigo 252 pela Lei Estadual n° 9.107, de 31 de março de 2009, o bem tombado fica igualmente protegido de qualquer ação que lhe impeça ou reduza a visibilidade ou paisagem estética e ambiental, tanto do bem, quanto de sua área de entorno e vizinhança;

Considerando que o imóvel a ser tombado, “Casa de Memória”, faz parte da história do município de Campo Novo do Parecis situado à Rua São Paulo nº 372 NE – Centro, a aproximadamente 550 km da capital de Mato Grosso, tudo conforme as descrições constantes do Memorial Descritivo anexado ao Processo nº 790437/2008;

Considerando que a “Casa da Memória”, faz parte da história do Município de Campo Novo do Parecis/MT, por ser um espaço em que funcionou a 1° escola Municipal de 1982 a 1986, a partir de 1987 funcionou a 1ª Subprefeitura, e em 1989 a Prefeitura Municipal juntamente com a Câmara Municipal, depois como Posto dos Correios, INDEA, CIRETRAN entre outros, até o ano de 2001;

RESOLVE:

Art. 1° Tombar para o Patrimônio Histórico e Artístico Estadual os bens culturais de natureza material, natural, histórico e paisagístico constituído pelo espaço do Casa da Memória localizado no município de Campo Novo do Parecis /MT.
§ 1° O tombamento com uma delimitação de área construída de 57,48 m², e área de entorno de preservação de ambiência e visibilidade de 67,17 m², sendo 30m à frente, 5m à direita e a esquerda e 3m ao fundo.
§ 2° A presente implica no tombamento de bem imóvel, logradouros e paisagens inseridas no perímetro acima citado e passam a ser tutelados pela proteção especial do Poder Público Estadual que velará para que os efeitos previstos em normas disciplinadoras sejam devidamente respeitados como uma memória viva a milhares de anos. Sujeitando ao prévio exame do órgão estadual os projetos que visem modificar ou alterar o bem tombado para preservar e proteger sua visibilidade e ambiência.

Art. 2° Determinar que seja feita a inscrição no Livro do Tombo Histórico nos termos dos artigos 4° e 5°, da Lei Estadual n° 9.107, de 31 de março de 2009, pela sua significação histórica e artística para a comunidade e à memória mato-grossense.

Art. 3° Determinar que seja comunicado ao representante legal dos bens acima citado quando da publicação da Portaria, tendo em vista os mesmos terem concordado por meio de Carta de Anuência com o tombamento dos respectivos bens histórico/cultural.

Registrada, Publicada, Cumpra-se. Cuiabá, de 18 de outubro de 2011.

Para refletir - Crianças da Terra: Argentina!


"Faço menos planos e cultivo menos recordações. Não guardo muitos papéis, nem adianto muito o serviço. Movimento-me num espaço cujo tamanho me serve, alcanço seus limites com as mãos, é nele que me instalo e vivo com a integridade possível. Canso menos, me divirto mais!"

Martha Medeiros

Recital de Balé


Acessem as fotos do Recital de Balé, evento promovido pelo Teatro Ogan através do Ponto de Cultura Ninho do Sol.

Em palco, a Cia de Arte Flor de Menina e o Grupo de Teatro Ninho do Sol, com participação dos Grupos Delicatta e Estrelas do Amanhã.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Centro Cultural promove Noite Teatral do Brincar

8º edição do Festival Parecis de Danças está com inscrições abertas


O Governo Municipal e a Secretaria Municipal de Educação e Cultura, através do Departamento de Cultura, estará promovendo o VIII Festival Parecis de Danças nos dias 3 a 6 de novembro, às 19h, no Plenário do Fórum.

O VIII Festival Parecis de Danças será constituído de seis modalidades distribuídas nas seguintes categorias:
  • Infantil – até 8 anos

  • Juvenil – 9 a 14 anos

  • Adulto – 14 em diante


  • Modalidades:
  • I – Danças Folclóricas

  • II – Danças do Ventre

  • III – Danças Clássicas

  • IV – Danças Modernas

  • V – Danças de Rua

  • VI – Categoria Livre


  • Participarão do VIII Festival Parecis de Danças todos os dançarinos independentes ou grupos de danças deste município que se inscreverem regularmente até o dia 26/10/2011. As fichas de inscrição deverão ser entregues na secretaria do Departamento de Cultura.

    Cada participante ou grupo poderá inscrever-se com até (2) duas coreografias.

    A taxa de inscrição da coreografia, em qualquer modalidade, será no valor de R$ 10,00 (dez reais) individual ou duplas e R$ 20,00 (vinte reais) para grupos.

    O VIII Festival Parecis de Danças estará premiando com o troféu “Águas de Dança” nas 2 (duas) primeiras colocações em cada modalidade, nas categorias infantil, juvenil e adulto, além das premiações especiais para a Melhor Coreografia, Melhor Dançarino, Melhor Dançarina e Melhor Figurino.

    Por Sílvia Regina Schneiders

    Andarilhos das Estrelas - Grupo Tibanaré

    Para refletir - Crianças da Terra: Portugal!


    "A felicidade só cria recordações."

    Honoré de Balzac

    terça-feira, 25 de outubro de 2011

    Ninho do Sol participa de II Conferência da Criança

    Realizada na última quarta e quinta-feira, na Câmara de Vereadores, a II Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente contou com apresentações do Ponto de Cultura Ninho do Sol.

    Acompanhe abaixo a matéria veiculada no parecis.net sobre o evento:


    Cia de Arte Flor de Menina na abertura da II Conferência da Criança

    Secretaria Municipal de Trabalho e Ação Social em Parceria com CMDCA realizam II Conferência.

    Na noite de quarta-feira, dia 19 de outubro, houve a abertura da II Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, evento que uniu diversos atores sociais, no Plenário da Câmara Municipal, para participarem do processo de construção de ações voltadas para garantia de direitos das crianças e adolescentes.

    O tema abrangido foi: “Mobilizando, Implementando e Monitorando a Política e o Plano Decenal de Direitos Humanos das Crianças e dos Adolescentes nos Estados, no Distrito Federal e nos Municípios”.

    Buscou-se incentivar o debate e a formulação de propostas para a política de promoção, proteção e defesa dos direitos da criança e do adolescente no âmbito municipal, de modo a enriquecer as discussões nos níveis estadual e nacional. Ou seja, foram escolhidas as diretrizes e os delegados e delegadas que representarão Campo Novo do Parecis na Conferência Estadual.

    Durante a Conferência será construído um plano de políticas públicas que orientará as medidas tomadas pelo município para a área nos próximos dez anos. Nesse sentido, foram discutidos os eixos temáticos: Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente; Proteção e Defesa dos Direitos; Protagonismo e Participação de Crianças e Adolescentes; Controle Social da Efetivação dos Direitos; Gestão da Política Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente.

    Representantes da comunidade, organizações governamentais e não-governamentais, adolescentes e Conselheiros Tutelares acompanharam a palestra de Natalício Menezes, Excelência em Assessoria e Consultoria de Políticas para a Infância e Adolescência de Mato Grosso e apresentação culturais de alunos do Ponto de Cultura Ninho do Sol e Departamento de Cultura do município.

    Conferências Municipais - De acordo com determinações do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente - Conanda, todos os municípios do país devem realizar suas conferências municipais. Os encontros poderão ser individuais ou reunir vários municípios, desde que estejam na mesma região. Cada cidade deverá aprovar duas diretrizes prioritárias por eixo que serão remetidos para a Conferência Estadual e, posteriormente, Conferência Federal.

    Por Carla Londero – Diretora de Comunicação do Governo Municipal

    "Karina Santiago diz a que veio"

    Com um título sugestivo, “Karina Santiago diz a que veio”, a vice-presidente nacional da CUFA e coordenadora da CUFA Cuiabá fala ao jornal Folha do Estado sobre o trabalho da organização na capital mato-grossense e no Brasil.

    Leia a matéria completa – Folha3 Jornal Folha do Estado



    Para refletir - Crianças da Terra: Etiópia!


    "A vida humana não tem só um nascimento, só uma infância, é feita de vários renascimentos, de várias infâncias."

    Francesco Alberoni

    segunda-feira, 24 de outubro de 2011

    Centro Cultural promove Noite do Livro e da Leitura


    O Governo Municipal e a Secretaria Municipal de Educação e Cultura, através do Departamento de Cultura, convidam para a “Noite Cultural do Livro e da Leitura”, dia 25 de outubro, terça-feira, às 19h, no Centro Cultural, em comemoração à Semana Nacional do Livro e da Biblioteca, que ocorre entre os dias 24 a 30 de outubro, neste ano.

    O evento contará com apresentações de balé, dança do ventre, axé, dança de rua, capoeira, música, contação de histórias e poesias.

    Será cobrado ingresso simbólico de R$ 2,00 que serão revertidos para as oficinas de teatro e dança na confecção de cenários e figurinos dos grupos que estarão participando do X Femute – Festival Municipal de Teatro e também do VIII Festival Parecis de Danças.

    Secretaria Municipal de Cultura e Turismo será criada

    O Governo Municipal de Campo Novo do Parecis dá um passo gigantesco na questão cultural. Trata-se do Projeto de Lei Complementar nº 009/2011, que dispõe sobre a criação, estruturação e atribuições da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, que dará entrada na pauta da sessão de hoje, segunda-feira (24/10), na Câmara de Vereadores.


    I Conferência Municipal de Cultura, passo fundamental na estruturação de políticas públicas de cultura.

    A criação da secretaria vem para atender à antigas solicitações da classe artística do município, que encontrou eco no início deste ano com uma Indicação do então vereador Leandro Martins (atual secretário de Educação e Cultura), e ganhou força nos Fóruns Setoriais de Música, Artes Cênicas, Cultura Popular e Artesanato, Gestão e Economia da Cultura e na I Conferência Municipal de Cultura, realizada em setembro deste ano.

    O ponto culminante foi a reinvidicação do Conselho Municipal de Política Cultural, mobilizador de todas essas demandas, na Audiência Pública da LOA/2012, momento em que a solicitação de criação da secretaria foi levada ao prefeito municipal que entendeu a importância do pedido e acatou o mesmo.

    Sobre a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo

    A sua Missão está centrada no desenvolver políticas públicas nas áreas da cultura e do turismo, planejando, normatizando, coordenando, executando e avaliando planos, programas, projetos e ações capazes de transformar a realidade social, econômica e cultural do povo campo-pareciense, bem como consolidar sua Visão como uma instituição estruturada, sistematizada, moderna e atuante, promotora do desenvolvimento social, cultural e turístico para um município saudável e economicamente sustentável.

    Se o Projeto de Lei Complementar for aprovado conforme encaminhado à Casa de Leis, a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo contará, em sua estrutura organizacional, com o Departamento de Cultura e o Departamento de Turismo, (já existentes), e com as Divisões de Ações Artístico-Cultural; de Patrimônio Histórico e Cultural; e de Eventos Turísticos e Culturais (já existentes mas não regulamentadas). Serão criadas as Divisões de Apoio Administrativo; da Banda Municipal (maestro da Banda Municipal do Parecis); e de Fomento ao Etnoturismo.

    Serão criadas outras 04 vagas para Instrutores de Oficinas de Arte, para dinamizar e atender as demandas dos bairros e distritos do município, totalizando 11 Instrutores, que atuarão nas áreas de Música (violão, Banda Municipal de Percussão e fanfarras escolares); Artes Cênicas (teatro, capoeira, danças do ventre, balé, danças de rua, axé, danças de salão); e Artes Plásticas (pintura em tela e desenho com grafite).

    Democracia: para refletir - Projeto de Lei 267/11


    A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 267/11, da deputada Cida Borghetti (PP-PR), que estabelece punições para estudantes que desrespeitarem professores ou violarem regras éticas e de comportamento de instituições de ensino.

    Em caso de descumprimento, o estudante infrator ficará sujeito a suspensão e, na hipótese de reincidência grave, encaminhamento à autoridade judiciária competente.

    A proposta muda o Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/90) para incluir o respeito aos códigos de ética e de conduta como responsabilidade e dever da criança e do adolescente na condição de estudante.

    Indisciplina

    De acordo com a autora, a indisciplina em sala de aula tornou-se algo rotineiro nas escolas brasileiras e o número de casos de violência contra professores aumenta assustadoramente. Ela diz que, além dos episódios de violência física contra os educadores, há casos de agressões verbais, que, em muitos casos, acabam sem punição.

    O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Educação e Cultura; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

    Para refletir - Crianças da Terra: Paraguai!


    "Quando rever é reviver
    Preciso reviver, eu bem sei,
    mesmo que só na lembrança,
    voltar à minha antiga casa,
    rever a minha infância
    e todos os momentos felizes que lá passei."

    Clarice Pacheco

    domingo, 23 de outubro de 2011


    Regulamenta as Representações Regionais do Ministério da Cultura e dá outras providências.

    O MINISTRO DE ESTADO DA CULTURA, no uso da atribuição que lhe é conferida pelo inciso II do parágrafo único do art. 87 da Constituição Federal, considerando o disposto no inciso III do art. 2º, no inciso VIII do art. 18 e no art. 24 do Anexo I e no Anexo II (a) do Decreto nº 6.835, de 30 de abril de 2009, resolve:

    Art. 1º As Representações Regionais – RR – do Ministério da Cultura e suas respectivas abrangências territoriais administrativas são as seguintes:

    I – Representação Regional do Rio de Janeiro e Espírito Santo, unidade do Tipo A que abrange os Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo; sede na cidade do Rio de Janeiro/RJ;

    II – Representação Regional de São Paulo, unidade do Tipo A que abrange o Estado de São Paulo com sede na cidade de São Paulo/SP;

    III – Representação Regional do Nordeste, unidade do Tipo A que abrange os Estados de Alagoas, Ceará, Maranhão, Paraíba Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, com sede na cidade do Recife/PE;

    IV – Representação Regional de Minas Gerais, unidade do Tipo B que abrange o Estado de Minas Gerais, com sede na cidade de Belo Horizonte/MG;

    V – Representação Regional do Norte, unidade do Tipo B que abrange os Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia e Roraima, com sede na cidade de Belém/PA; (inciso alterado pela Portaria MinC nº 98, de 18 de outubro de 2011)

    V – Representação Regional do Norte, unidade do Tipo B que abrange os Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, com sede na cidade de Belém/PA;

    VI – Representação Regional do Sul, unidade do Tipo B, que abrange os Estados do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, com sede na cidade de Porto Alegre/RS;

    VII – Representação Regional do Centro Oeste, unidade do Tipo B, que abrange o Distrito Federal e os Estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Tocantins com sede na cidade de Cuiabá/MT; e (inciso alterado pela Portaria MinC nº 98, de 2011)

    VII – Representação Regional do Centro Oeste, unidade do Tipo B, que abrange o Distrito Federal e os Estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, com sede na cidade de Cuiabá/MT; e

    VIII – Representação Regional da Bahia, unidade do Tipo B que abrange o Estado da Bahia, com sede na cidade de Salvador/BA. (NR)

    Art. 2º As Representações Regionais com abrangência de mais de uma unidade da federação poderão ter subunidades administrativas, denominadas Escritórios e condicionadas estudo prévio da Secretaria de Articulação Institucional a ser submetido ao Ministro de Estado da Cultura. (artigo alterado pela Portaria MinC nº 98, de 2011)

    Art. 2º As Representações Regionais com abrangência em mais de uma unidade da federação poderão ter subunidades administrativas, denominadas Escritórios, cuja criação estará condicionada a estudo prévio do Gabinete do Ministro de Estado da Cultura.

    Parágrafo único. Compete à Secretária de Articulação Institucional praticar os atos administrativos necessários para implantação das sedes e definição dos cargos que terão exercício nos Escritórios de Representações Regionais. (parágrafo revogado pela Portaria MinC nº 98, de 2011)

    Art. 3º As Representações Regionais do Tipo “A” terão um cargo comissionado de Chefe de Representação Regional, DAS 101.4; um cargo comissionado de Chefe de Divisão, DAS 101.2; um cargo comissionado de Chefe de Serviço, DAS 101.1; um cargo comissionado de Assistente, DAS 102.2; e um cargo comissionado de Assistente Técnico, DAS 102.1.

    Art. 4º As Representações Regionais do Tipo “B” terão um cargo comissionado de Chefe de Representação Regional, DAS 101.3; um cargo comissionado de Chefe de Divisão, DAS 101.2; um cargo comissionado de Chefe de Serviço, DAS 101.1; um cargo comissionado de Assistente, DAS 102.2; e um cargo comissionado de Assistente Técnico, DAS 102.1.

    Art. 5º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

    JOÃO LUIZ SILVA FERREIRA

    (OBS. Retificação do art. 1º publicada no DOU de 03/12/2010, porém sem efeito, por divergir do original assinado pela autoridade competente)

    Para refletir - Crianças da Terra: Dinamarca!


    "Mesmo que as pessoas mudem e suas vidas se reorganizem, os amigos devem ser amigos para sempre, mesmo que não tenham nada em comum, somente compartilhar as mesmas recordações."

    Vinícius de Moraes

    sexta-feira, 21 de outubro de 2011

    Para refletir - Crianças da Terra: Alemanha!


    "Ainda que se percam outras coisas ao longo dos anos, mantenhamos o Natal como algo brilhante... Regressemos a nossa fé infantil."

    Grace Noll Crowell

    Começam as audiências pela lei Cultura Viva


    Foi realizada na assembléia legislativa de São Paulo a primeira audiência oficial da lei Cultura Viva (já ocorreu uma audiência livre na cidade de Rio Claro, além de uma outra em Brasília, logo quando a autora do projeto, deputada Jandira Feghali , apresentou o projeto de lei). Serão ao menos mais 4 audiencias (duas já marcadas, dia 20/10 no Piauí e 27/10 em Porto Alegre). O encontro foi muito produtivo e, exceto uma defesa isolada pela manutenção da lei 8666 como modelo para prestação de contas, houve um grande consenso nas seguintes propostas:

    a) relevância da Lei CULTURA VIVA perenizando os Pontos de Cultura e suas ações (cultura e saúde, pontinhos de cultura, griôs, interações estéticas, escola viva, agentes jovens de cultura viva, cultura digital, etc…);

    b) o artigo fundamental da lei deve assegurar a seguinte essência: “Quem faz Cultura é o povo, são as pessoas e não os governos, e cabe ao Estado assegurar meios para este fazer cultural com autonomia e protagonismo”;

    c) Incorporar o termo Cultura Viva Comunitária, integrando-o à campanha latino america pela cultura viva comunitária e resgardando este sentido de vinculos comunitários, com ações permanentes e não eventuais;

    d) Manter o sentido e os princípios da gestão compartilhada e transformadora, assegurando os mecanismos do Estado-Rede e da gestão Intra-rede, com os Pontões como “articuladores, capacitadores e difusores na rede dos pontos de cultura” (a este respeito, atento que no Plano Nacional de Cultura não há menção aos Pontões enquanto meta e a consulta públçica para o Plano encerra na próxima sexta feira);

    e) Modificar a forma de contrato com os Pontos de Cultura, saindo da modalidade “convênio” e passando a ser “contrato”, em que a prestação de contas será por resultados (o que o Ponto de Cultura se propõe efetivamente a realizar) e não procedimentos (formas de contratação de serviços e procedimentos burocráticos como acontece hoje). A transferência dos recursos deveria ser pelo CARTÃO CULTURA VIVA, com prestação de contas On Line (ao meu ver, alem de assegurar a perenidade do Cultura Viva, este deve ser o principal resultado da lei, que poderá servir, inclusive, de modelo para novas relações entre Estado e o protagonismo da sociedade, em áreas como meio ambiente, educação popular, etc…), besburocratizando o processo e liberando os agentes culturais para fazer exatamente o que melhor saber fazer: o desenvolviemnto da cultura em suas comunidades;

    f) Incluir a proposta de Pontos de Cultura em Escolas (administrados de forma compartilhada e autonoma entre professores, comunidade e estudantes);

    g) Incluir uma nova modalidade no Cultura Viva: MANUTENÇÃO DE CORPOS ARTÍSTICOS ESTÁVEIS (grupos artísticos com funcionamento regular há mais de cinco anos e com atuação profissional não vinculada ao mercado cultural – cultura não é mercadoria – que, por suas características de pesquisa e experimentação estética necessitam de um tratamento próprio, dentro do mesmo princípio Cultura Viva – cabe ao Estado assegurar meios para um fazer cultural contínuo, autonomo). O movimento de teatro de grupo e a cooperativa paulista de teatro, tem uma proposta, que é o prêmio brasileiro de teatro, que sou favorável; no entanto, o premio não dá solução ao principal problema destes grupos, que é o da permanência e que, com esta proposta estaria melhor equacionada, além de abranger outros campos das artes, como dança, orquestras jovens, coletivos de artes integradas, etc…

    Quanto à defesa isolada da manutenção da lei 8666 como modelo para prestação de contas dos Pontos de Cultura, o próprio deputado Nazareno rebateu, apontando que esta é uma lei para aquisição de bens e serviços com grandes empresas e que há diversas alternativas já em aplicação (nova modalidade para copa e olimpíadas, programa de aquisição de alimentos de pequenos produtores, modelo diferenciado para micro e pequenas empresas, etc…). O proprio governo tem estudado um novo modelo para essas entidades comunitárias de pequeno porte, e a lei cultura viva poderia representar uma boa experiencia de nova forma de relacionamento – menos burocrática e mais focada em conteúdo – entre Estado e Sociedade.

    Também foi apresentada a necessidade de tramitação ágil da lei (ao menos com votação ainda este ano na Comissão de Educação e Cultura – depois há ainda mais três comissões, votação em plenário da camara, depois senado, enfim, ainda há um longo percurso).

    Enfim, estamos avançando e a unidade, respeito e convergência são sempre o melhor caminho (abaixo anexo o link do relato da reunião em página do dep. Nazareno). Também registro aqui meu agradecimento à deputada Jandira Feghali (PCdoB/RJ e pres. da Frente Parlamentar de Cultura), ao dep Nazareno Fonteles PT/PI(relator do projeto), à dep. Fatima Bezerra (PT/RN e presidente da comissão de educação e cultura), ao dep Tiririca (PR/SP) pela relevante emenda em relação ao circo, ao sen. Valadares (PSB/SE, por apresentar a proposta no senado) e ao dep estadual por SP, Simão Pedro (PT) que acolheu a primeira audiência pública pela lei Cultura Viva. Além, é claro, de todas as pessoas do movimento dos Pontos de Cultura que estão seriamente envolvidas na campanha pela Lei Cultura Viva, tendo assegurado em SP (sugiro que o mesmo seja feito nas demais audiências) a transmissão ao vivo por internet, permitindo a participação e pessoas de todo o país. Estamos, inclusive, pensando em realizar uma webaudiencia em conjunto com demais países da américa latina e que estão em campanha pela Cultura Viva Comunitária.

    quinta-feira, 20 de outubro de 2011

    Para refletir - Crianças da Terra: França!


    "Mesmo que as pessoas mudem e suas vidas se reorganizem, os amigos devem ser amigos para sempre, mesmo que não tenham nada em comum, somente compartilhar as mesmas recordações."

    Vinícius de Moraes


    quarta-feira, 19 de outubro de 2011

    Ninho do Sol participa de capacitação em Cuiabá

    Será realizada nos dias 20 e 21 de outubro de 2011, mais uma capacitação direcionada aos Pontos do Mato - Rede de Pontos de Cultura de Mato Grosso. O evento acontecerá no Palácio da Instrução, em Cuiabá, e contará com a presença de todos os 40 pontos de cultura conveniados com a Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso.

    O Ponto de Cultura Ninho do Sol estará representada por sua equipe técnica: Vanderlei César Guollo - coordenador administrativo, Sílvia Regina Schneiders - coordenadora técnica e Roberto Nonenmacher - designer gráfico.

    Acompanhe abaixo a programação prevista para o evento:

    PROGRAMAÇÃO:

    20/10 - Palácio da Instrução – 14:00 as 18:00
    PROAC 2012
    Equipe Conselho de Cultura

    Comunicação
    Equipe SEC

    Prático em Prestação de Contas
    Equipe: SEPLAN/SAD

    20/10 - SESC/Arsenal – 18:30
    Bulixo: Interatividade entre os Ponteiros

    21/10 - Palácio da Instrução – 8:30 as 12:00
    Execução do Convênio e Prestação de Contas
    Equipe: SEPLAN/SAD

    21/10 - Palácio da Instrução – 14:00 as 18:00
    Relatos de Experiências dos Pontos do Mato

    Comissão aprova proposta que promove culturas tradicionais

    A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara aprovou na quarta-feira (5) o Projeto de Lei 759/11, do deputado Padre Ton (PT-RO), que visa a promover a cultura das comunidades indígenas, afro-brasileiras, de outras minorias, além das manifestações folclóricas tradicionais.

    A proposta tem o objetivo também de apoiar, de maneira equilibrada, a distribuição de recursos entre as distintas manifestações culturais, priorizando as de origem local, reconhecidamente tradicionais e consideradas raízes do folclore nacional.

    O projeto altera a Lei Rouanet de Incentivo à Cultura (8.313/91), que criou o Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), com os mecanismos do Fundo Nacional de Cultura (FNC) do mecenato e do Fundo de Incentivo Cultural e Artístico (Ficart). A lei tem justamente a finalidade de captar e canalizar recursos para o setor de modo a promover diversas manifestações culturais brasileiras.

    O autor lembra que a proposição foi apresentada na legislatura passada pelo deputado Eduardo Valverde (PT-RO), falecido neste ano, e que seu objetivo é priorizar a atenção para manifestações culturais tradicionais, especialmente para aquelas que se encontram sob ameaça de desaparecimento e são constantemente discriminadas.

    Pluralidade da produção cultural

    Em seu parecer, o relator, deputado Edson Santos (PT-RJ), acatou o projeto na íntegra. “É evidente que a cultura de comunidades tradicionais não tem tido condições efetivas para preservação e desenvolvimento. Ao falar diretamente das comunidades tradicionais indígenas e afro-brasileiras e do apoio à distribuição equilibrada de recursos entre as distintas manifestações culturais, a proposição supre uma lacuna na política cultural brasileira e ajuda a dar condições efetivas para garantir a diversidade e pluralidade dessa produção cultural”, afirmou Edson Santos.

    Tramitação

    Sujeita à análise conclusiva nas comissões, o projeto segue para as comissões de Educação e Cultura; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

    Reportagem - Mariana Monteiro
    Edição – Regina Céli Assumpção

    A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara de Notícias'

    Para refletir - Crianças da Terra: Índia!


    "O estudo em geral, a busca da verdade e da beleza são domínios em que nos é consentido ficar crianças toda a vida."

    Albert Einstein

    Adeus em quatro estações: André D’Lucca se despede de Almerinda


    Após 11 anos em cartaz, mais de 200 mil expectadores, três espetáculos, turnês pelo Brasil e Europa, e participações em comerciais e festivais, Almerinda sai de cena. A temporada final acontece no Cine Teatro Cuiabá, em quatro sessões: 20 e 21 de outubro, quinta e sexta-feira, às 20h e às 21h30.

    Autor e ator do espetáculo, André D’Lucca rendilha e, sem perder o tom decidido na voz, explica as razões para o “suposto assassinado”, ou aposentadoria, da carismática Almerinda. Para ele, depois de 11 anos com a peça, a confusão, por parte do público, entre ator e personagem tornou-se inevitável. “Hoje em dia, mesmo barbudo por causa de meu novo trabalho, Bem Dito, chego aos lugares e sempre tem um engraçadinho que grita ALMERINDA! Todos olham e eu também, procurando: Cadê?”, lembra entre risos. Outro ponto mencionado é o estigma de que ele seria ator de um só personagem. “Nesses 11 anos fiz cerca de 20 personagens diferentes, mas Almerinda sempre teve maior destaque e interesse do público. Fiz novela, cinema, drama, uma montagem de Nelson Rodrigues que foi um desafio, mas Almerinda sempre despertou a empatia do povo”, detalha.

    Em sua trajetória, Almerinda gerou três espetáculos: Os segredos de Almerinda, Almerinda 2 – Cachorra Diamante, e Politicagem – Stand up, o que somado às apresentações nacionais e internacionais, constituiu, segundo André, uma trajetória perfeita. “Tudo tem seu tempo, e mesmo estando no auge, resolvi que é hora de matá-la. Um crime premeditado”, brinca. Mas a idéia inicial do “assassinato” foi deixada de lado depois de manifestações do público com frases do tipo: “se é pra matar alguém, mate você mesmo, mas Almerinda fica”, lembra com a expressão desconfiada. O ator então resolveu poupar a personagem. “Vou mandar Almerinda para a lua, com passagem só de ida”, ironiza.

    Brincadeiras a parte, ele deixa claro que Almerinda ainda existirá, mas desta vez no corpo de outra artista. “A talentosa atriz Dane Ornellas vai montar o espetáculo no Rio de Janeiro, e dar vida nova a essa personagem tão polêmica e divertida. Estou passando a bola”, finaliza. Os ingressos para a Última Temporada de “Os Segredos de Almerinda” estarão à venda na bilheteria do Cine Teatro Cuiabá a partir de 18 de outubro, terça-feira, das 14h às 18h, e nos dias de espetáculo das 14h até o início das apresentações. O valor é 30 reais e 15 reais (meia).

    A PEÇA

    Com direção e supervisão de Ingrid Guimarães e Heloisa Perissé, o espetáculo apresenta a história da emergente Almerinda George Lowsbi, uma figura com perfil psicológico atípico que faz revelações bombásticas em suas sessões de análise. Segredos nunca revelados vão surgindo durante os sessenta minutos de duração da peça, tempo aproximado a uma sessão de análise freudiana.

    Dentre os principais problemas que a atormentam, encontra-se a morte de Richard, seu marido, as lembranças da infância perturbada, a presença de seu filho com tendências homossexuais, a demissão de uma empregada com mais de vinte anos de serviços prestados, a estreia de seu programa de auditório destinado ao público suicida e um grande segredo guardado a sete chaves por toda vida. As suas revelações mudaram para sempre o rumo de suas sessões.

    OFICINA

    Também na quinta (20.10) e sexta-feira (21.10), das 17h às 19h, André D’Lucca ministra duas oficinas de teatro dedicadas à interpretação e construção de personagem, e também a maquiagem cênica. As oficinas são gratuitas e direcionadas a iniciantes, amadores ou profissionais, acima de 12 anos. Para participar os interessados deve fazer a inscrição no foyer do Cine Teatro até dia 19 de outubro, das 14h às 18h, e comparecer no dia da oficina com roupa confortável para prática de exercícios. São 20 vagas para cada dia. As duas oficinas têm o mesmo conteúdo programático.

    O ATOR E AUTOR

    André D’Lucca é bacharel em direito e trabalha na área de artes desde 1990. Como ator, atuou em dezenas de peças em várias capitais do Brasil e na Europa. Dentre as montagens se destaca a comédia “Segredos de Almerinda”, com direção de Ingrid Guimarães e Heloísa Périssé. Na Rede Globo participou de algumas novelas (Da Cor do Pecado, Mulheres Apaixonadas, Malhação, Beleza Pura e Pé na Jaca) com destaque em Sete Pecados, onde interpretou o sequestrador Carlão. Atuou nos humorísticos: A Grande Família, Guerra e Paz e Sob Nova Direção. Gravou mais de quarenta comerciais para TV sendo premiado em duas campanhas: Contadores de Vantagens do Supermercado Modelo e a Campanha de Natal do Detran. Atualmente participa do programa de humor “Caxiboncó”, maior audiência do rádio em Cuiabá.

    SERVIÇO:

    Espetáculo: “Os Segredos de Almerinda”, com André D’Lucca
    Local: Cine Teatro Cuiabá
    Data: 20 e 21 de outubro (quinta e sexta)
    Horário: em dois horários: 20h e 21h30
    Ingressos: bilheteria do CTC a partir de 18 de outubro, das 14h às 18h, e nos dias de espetáculo das 14h até o início das apresentações
    Valor: 30 reais e 15 reais (meia)

    SERVIÇO 2:

    O que: Oficinas de Teatro, com André D’Lucca
    Local: Cine Teatro Cuiabá
    Data: 20 e 21 de outubro (quinta e sexta)
    Opções de horário: 20 de outubro, quinta-feira, das 17h às 19h
    21 de outubro, sexta-feira, das 17h às 19h
    Vagas: 40 vagas (20 vagas para cada horário)
    Público alvo: iniciantes, amadores ou profissionais, acima de 12 anos
    Inscrições: foyer do Cine Teatro, das 14h às 18h
    Oficinas gratuitas

    Por Assessoria Cine Teatro Cuiabá

    terça-feira, 18 de outubro de 2011

    Segredos de Liquidificador invade o palco da Unemat em Barra do Bugres


    “Segredos de Liquidificador”, dos jovens atores da Companhia Pessoal do Ânima, é uma “saborosa” comédia repleta de sátiras e críticas sociais aliadas ao humor que volta a cartaz depois de temporadas de sucesso em 2006 e 2007.

    A peça que leva muita sátira, realismo fantástico, cotidiano, críticas e sarcasmo, mostra um espetáculo totalmente interativo reunindo grandes performances dos mais variados gêneros da comédia e esquetes paralelas sem nenhum compromisso de nexo umas com as outras.



    Teatro: “Segredos de Liquidificador”.
    Companhia Pessoal do Ânima.
    21 a 23 de outubro, às 20h;
    No Auditório da Unemat de Barra do Bugres-MT
    Ingressos:
    R$20,00 inteira e R$ 10,00 meia
    informações: (65) 9619-2796




    Especial mês da criança!


    Fazendo Arte na Biblioteca Comunitária - Produção textual


    Ser Criança é...

    Ser criança é legal, pois o mundo é uma brincadeira para todas as crianças, não importa aonde esteja.

    Não importa se é branco, preto, gordo, magro, alto ou baixo.

    Ser criança é se divertir, brincar, respeitar as pessoas mais velhas e amar a todos.

    Quando as crianças crescem, algumas pessoas sentem saudade de sua infância.

    Ser criança é fazer travessuras.

    Adoro ser criança!

    Ester Rocha Knob – 12 anos


    Para refletir - Crianças da Terra: Egito!


    "Sai de tua infância, amigo, acorda!"

    Arthur Schopenhauer

    Desabafo - Meio ambiente: para refletir!


    Na fila do supermercado, o caixa diz a uma senhora idosa:
    - A senhora deveria trazer suas próprias sacolas para as compras, uma vez que sacos de plástico não são amigáveis com o ambiente.

    A senhora pediu desculpas e disse:
    - Não havia essa onda verde no meu tempo.

    O empregado respondeu:
    - Esse é exatamente o nosso problema hoje, minha senhora. Sua geração não se preocupou o suficiente com o nosso ambiente.

    - Você está certo - responde a velha senhora - nossa geração não se preocupou adequadamente com o ambiente. Naquela época, as garrafas de leite, garrafas de refrigerante e cerveja eram devolvidos à loja. A loja mandava de volta para a fábrica, onde eram lavadas e esterilizadas antes de cada reuso, e eles, os fabricantes de bebidas, usavam as garrafas, umas tantas outras vezes.

    Realmente não nos preocupamos com o ambiente no nosso tempo. Subíamos as escadas, porque não havia escadas rolantes nas lojas e nos escritórios. Caminhávamos até o comércio, ao invés de usar o nosso carro de 300 cavalos de potência a cada vez que precisamos ir a dois quarteirões.

    Mas você está certo. Nós não nos preocupávamos com o ambiente. Até então, as fraldas de bebês eram lavadas, porque não havia fraldas descartáveis. Roupas secas: a secagem era feita por nós mesmos, não nestas máquinas bamboleantes de 220 volts. A energia solar e eólica é que realmente secavam nossas roupas. Os meninos pequenos usavam as roupas que tinham sido de seus irmãos mais velhos, e não roupas sempre novas.

    Mas é verdade: não havia preocupação com o ambiente, naqueles dias. Naquela época só tínhamos somente uma TV ou rádio em casa, e não uma TV em cada quarto. E a TV tinha uma tela do tamanho de um lenço, não um telão do tamanho de um estádio; que depois será descartado como?

    Na cozinha, tínhamos que bater tudo com as mãos porque não havia máquinas elétricas, que fazem tudo por nós. Quando embalávamos algo um pouco frágil para o correio, usamos jornal amassado para protegê-lo, não plastico bolha ou pellets de plástico que duram cinco séculos para começar a degradar.

    Naqueles tempos não se usava um motor a gasolina apenas para cortar a grama, era utilizado um cortador de grama que exigia músculos. O exercício era extraordinário, e não precisava ir a uma academia e usar esteiras que também funcionam a eletricidade.

    Mas você tem razão: não havia naquela época preocupação com o ambiente. Bebíamos diretamente da fonte, quando estávamos com sede, em vez de usar copos plásticos e garrafas pet que agora lotam os oceanos. Canetas: recarregávamos com tinta umas tantas vezes ao invés de comprar uma outra. Abandonamos as navalhas, ao invés de jogar fora todos os aparelhos 'descartáveis' e poluentes só porque a lâmina ficou sem corte.

    Na verdade, tivemos uma onda verde naquela época. Naqueles dias, as pessoas tomavam o bonde ou ônibus e os meninos iam em suas bicicletas ou a pé para a escola, ao invés de usar a mãe como um serviço de táxi 24 horas.
    Tínhamos só uma tomada em cada quarto, e não um quadro de tomadas em cada parede para alimentar uma dúzia de aparelhos. E nós não precisávamos de um GPS para receber sinais de satélites a milhas de distância no espaço, só para encontrar a pizzaria mais próxima.

    Então, não é risível que a atual geração fale tanto em "meio ambiente", mas não quer abrir mão de nada e não pensa em viver um pouco como na minha época?

    Por e-mail - autoria desconhecida

    segunda-feira, 17 de outubro de 2011

    Especial mês da criança!


    Fazendo Arte na Biblioteca Comunitária- Produção textual


    Ser Criança é...

    Ser criança é ser legal, cumprimentar as pessoas. É ser bonito, ser gentil e também ser educado com os mais velhos.

    Wesley Dener Bens de Oliveira – 8 anos