quinta-feira, 31 de março de 2011

Congresso Brasileiro de Teatro é realizado

O Congresso Brasileiro de Teatro foi realizado nos últimos dias 26 e 27 de março na cidade de Osasco/SP.

Abertura do Congresso Brasileiro de Teatro contou com a presença de Ana de Hollanda

O encontro que contou com a presença de representantes de grupos de teatro de vinte estados brasileiros, além do Distrito Federal, e teve como objetivo discutir e refletir sobre as atuais políticas públicas culturais executadas pelas instâncias públicas e privadas.

O evento, organizado pela Cooperativa Paulista de Teatro com a Rede Brasileira de Teatro de Rua, contou ainda com a presença da ministra da Cultura Ana de Hollanda, que declarou publicamente seu apoio à Lei Prêmio Teatro Brasileiro, que foi um dos pontos mais discutidos no evento.


Terra Papagalli, apresentação teatral no Congresso

O presidente da Funarte Antonio Grassi, também demonstrou apoio às reivindicações da categoria, com atenção especial à repressão sofrida pelo teatro de rua e a privatização dos espaços públicos, que afeta as apresentações ao ar livre, principalmente em parques e praças.

Grassi ofereceu a Funarte como espaço para realização do 2º Congresso Brasileiro de Teatro, programado para os dias 6, 7 e 8 de abril de 2012. Os congressistas produziram uma carta na qual exigem a aprovação da Lei Prêmio Teatro Brasileiro, a regulamentação nacional do teatro de rua e também a aprovação imediata do Projeto de Lei Procultura. Junto ao documento foi redigida uma moção de repúdio às leis de incentivo fiscal.

De acordo com Anderson Flores, representante do Teatro Experimental de Alta Floresta, um dos marcos do evento "foi a troca de experiências entre seus integrantes. Além de intercambiar informações sobre as políticas públicas para as artes cênicas do estado de Mato Grosso", ele continua "dividi vivências sobre montagens, espetáculos, festivais, orçamentos e mostras, criando novos elos no teatro nacional".

Poesias, Versos e Cordas no Sesc Arsenal

"Vale dos Sentidos" - espetáculo premiado, com o Grupo Tibanaré

Espetáculo: Voo de Psique

O espetáculo "Voo de Psique", do Grupo Tibanaré de Cuiabá, montado com linguagem cênica construída a partir de contos e poemas contidos na trilogia Sumo da Lascívia, Aquelarre ou Livro de Madalena e Conta Gotas, todos livros da escritora leitora Luciene Carvalho, representa um mergulho profundo no território da alma feminina.

Luz, som, lírica e sensibilidade ao alcance de cada um.

Elenco: Poetisa Luciene Carvalho e a Atriz Jeniffer Reis
Musica cênica: Valter Lara e Raul Lázaro
Trilha de efeitos: Alexandre Matos
Produção: Dude e Alexandre Cruz
Direção: Jefferson Jarcem

quarta-feira, 30 de março de 2011

Classe artística elege representantes para o CEC

Após várias meses de trabalho, foi finalizado o processo eleitoral para escolha dos representantes da classe artística para a nova gestão do Conselho Estadual de Cultura de Mato Grosso.

A eleição aconteceu no sábado, dia 26 de março de 2011, no Palácio da Instrução, em Cuiabá, e contou com a participação de representantes de todas as áreas culturais dos mais diversos municípios do Estado.

O Conselho Municipal de Política Cultural de Campo Novo do Parecis encaminhou três representantes eleitos pela classe para participar e acompanhar todo o processo eleitoral: Alexandre Marcos Rolim de Morais, Presidente do Conselho; Sílvia Regina Schneiders, Conselheira Municipal de Cultura; e Vanderlei César Guollo, Secretário Executivo do Conselho e Diretor de Cultura do município.

Os novos Conselheiros Estaduais de Cultura pela classe artística são:

Titular: Johnny Everson (Cuiabá) / Suplente: Jefferson Jarcem (Cuiabá)

Titular: Alceu Casarin (Cuiabá) / Suplente: Walter Pezolato (Juína)

Titular: Ruth Varea (Sinop) / Suplente: Jarbas Sokolowki (Sorriso)

Titular: Eliane Conceição (Cuiabá) / Suplente: Alcides Santos (Cuiabá)

Titular: Mauro Cesar Lara Barros (Cuiabá) / Suplente: Dario Jacinto Souza (Cuiabá)

Titular: Carlinhos Viana (Cáceres) / Suplente: Agostinho Bizinoto (Alta Floresta)

Titular: Pedro Luis (Várzea Grande) / Suplente: Anderson Olympio de Lima (Várzea Grande)

Parabéns aos representantes eleitos!

terça-feira, 29 de março de 2011

Conselho Tutelar: confira as eleitas

Conselho Tutelar, órgão ligado ao Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente

Saiu o resultado da eleição das novas conselheiras tutelares de Campo Novo do Parecis ocorrida no último sábado, 26 de março. Confira os nomes das cinco eleitas:

1) Cândida da Cruz Silva (Paula) – 307 votos
2) Angélica dos Santos – 214 votos
3) Zuleide Rippel – 205 votos
4) Josélia Ribeiro da Silva – 195 votos
5) Heloisa Rozetto – 49 votos

Elaine Cristina Cavallari recebeu apenas 12 votos e fica com a vaga de suplente. Apenas seis nomes concorreram aos cargos que possuem remuneração de R$ 1.414,40.

No total foram 987 votantes, sendo 04 votos brancos e 01 nulo. O bairro Boa Esperança foi o que mais compareceu às urnas, 301 pessoas, seguido do Jardim das Palmeiras, 277, Nossa Senhora Aparecida, 171, Centro, 148 votantes, Marechal Rondon, 55 e Itamarati Norte, 35 pessoas.

O Teatro Ogan e o Instituto Parecis Cultural participam do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolecente sendo representados por dois de seus membros.

A posse será nesta quarta-feira, às 15h, na Promotoria de Justiça de nossa cidade.

Por Alexandre Rolim

segunda-feira, 28 de março de 2011

Ogan viaja para Curitiba em abril, mas busca apoio

Foto Divulgação de Amure
Fotografia de Sílvia Schneiders
Arte de Betho Nenenmacher
 

O Teatro Ogan, de Campo Novo do Parecis, viaja no próximo dia 06 de abril para a cidade de Curitiba, Paraná, onde participa do 13º Fringe, evento anexo ao 20º Festival de Teatro de Curitiba (FTC). Dois espetáculos serão apresentados: “Amure” (Foto) e “Plié: O Bailarino”.

Essa será a segunda vez que o grupo vence as fronteiras de Mato Grosso e se apresenta em um festival de importância nacional e internacional, a primeira foi em 1997 quando o Ogan apresentou “Floreza: Encantos do Lago”, no Festival Nacional de Teatro de Minas Gerais (FestiMinas) em Belo Horizonte.

Entretanto, o grupo está buscando apoio junto a sociedade camponovense para poder arcar com as despesas da viagem, como alimentação e passagens aéreas. Empresários poderão patrocinar os espetáculos e ter a sua marca ligada as ações do grupo e divulgadas na internet, em jornais, rádio, panfletos, camisetas, etc.

Amure ainda será apresentada em várias cidades da região, como Cuiabá, Sapezal e Tangará da Serra, considerando que a mesma foi aprovada no Edital Microprojetos Mais Cultura na Amazônia Legal, do Ministério da Cultura e Funarte.

Para colaborar o interessado deve entrar em contato com o grupo pelos telefones: 9974 1914 e 9987 9326.

Mensagem de uma escola particular na Califórnia

Esta é a mensagem que os professores de uma escola da Califórnia, EUA, decidiram gravar na secretária eletrônica.

Fantástica mensagem. Descreve uma realidade que encontramos também em qualquer cidade neste Brasil. Inclusive. (nota do Teatro Ogan)

A escola cobra responsabilidade dos alunos e dos pais perante as faltas e trabalhos de casa e, por isso, ela e os professores estão sendo processados por pais que querem que seus filhos sejam aprovados mesmo com muitas faltas e sem fazer os trabalhos escolares.

Eis a mensagem gravada:

- Olá! Para que possamos ajudá-lo, por favor, ouça todas as opções:
- Para mentir sobre o motivo das faltas do seu filho, tecle 1.
- Para dar uma desculpa por seu filho não ter feito o trabalho de casa, tecle 2.
- Para se queixar sobre o que nós fazemos, tecle 3.
- Para insultar os professores, tecle 4.
- Para saber por que não foi informado sobre o que consta no boletim do seu filho ou em diversos documentos que lhe enviamos, tecle 5.
- Se quiser que criemos o seu filho, tecle 6.
- Se quiser agarrar, esbofetear ou agredir alguém, tecle 7.
- Para pedir um professor novo pela terceira vez este ano, tecle 8.
- Para se queixar do transporte escolar, tecle 9.
- Para se queixar da alimentação fornecida pela escola, tecle 0.

- Mas se você já compreendeu que este é um mundo real e que seu filho deve ser responsabilizado pelo próprio comportamento, pelo seu trabalho na aula, pelas tarefas de casa, e que a culpa da falta de esforço do seu filho não é culpa do professor, desligue e tenha um bom dia!

Fonte: http://www.largadoemguarapari.com.br/xlargado/?p=14519

Cia Spirits recebe Moção de Aplauso

A Cia Teatral Spirits de Juína recebeu Moção de Aplauso na ultima sessão ordinária da Câmara Municipal de Juína.


"Eu chovo, tu choves, ele chove", espetáculo premiado em vários festivais no Estado

A entrega da homenagem partiu do vereador Alexandre Milano Lackman, popular Gauchinho, tendo sido aprovada por unanimidade pelos parlamentares da casa. Alexandre Milano Lackman aplaudiu a Companhia, pelos 10 anos de trabalho em prol do teatro juinense.

Desde sua fundação a Cia ja montou 12 espetáculos, 5 performances, participou de vários festivais de teatro. Atualmente a Cia está a frente da produção do Festin - Festival de Teatro Infantil de Juína, desenvolve o projeto Cine Mais Cultura e está em processo de montagem do espetáculo Tronodocrono.

A solenidade aconteceu às 20h da noite de segunda-feira (21/03/2011).

O Teatro Ogan parabeniza a Cia Teatral Spirits pelo sucesso e pelo reconhecimento do trabalho.

domingo, 27 de março de 2011

O silêncio não inocente

O silêncio não inocente - protesto pelas atitudes do MinC para com a cultura

Carta da CNPdC ao Ministério da Cultura

A primeira tentativa da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura (CNPdC) de retomada do diálogo com a nova equipe do Ministério da Cultura (MinC) se deu no dia 10 de janeiro de 2011 com o protocolização de oficio (MinC/SFAdm 1238/11) solicitando audiência com a nova Ministra Ana de Hollanda.

O Pontão de Articulação da CNPdC (Pontão) passou a acompanhar diariamente os despachos do gabinete no aguardo por uma confirmação. No dia 14/01, o Pontão foi procurado pelo MinC numa sondagem sobre a possibilidade de datas, que foi confirmada para o dia 20/01/2011.

A Comissão estava se organizando para a referida reunião quando, em 19 de janeiro, o MinC telefona para o Pontão cancelando a reunião com a Comissão. No dia 01/02 de 2011 o gabinete do MinC liga querendo uma reunião com o Pontão para o dia 02 de fevereiro, que foi confirmada.

Estiveram presentes nesta reunião os secretários Victor Ortiz e Marta Porto entre outros integrantes do MinC, 03 representantes do Pontão e 03 representantes da CNPdC. Durante este encontro, a CNPdC convida a Ministra da Cultura Ana de Hollanda, o Secretário Executivo Vitor Ortiz e a Secretária Marta Porto para a reunião da CNPdC, marcada para acontecer no período de 18 a 20 de março, em Pirenópolis (GO).

O secretário executivo compromete-se em comparecer. O convite oficial foi protocolado em 04 de março. No dia 17 de março o Pontão de Articulação da CNPdC recebe a informação que a Ministra Ana de Hollanda, o Secretário Executivo Vitor Ortiz e a Secretária Marta Porto, seriam representados por servidores da SCC/MinC – Antônia Rangel e Cesar Piva - na reunião no dia 19 de março a tarde.

Quando do informe, o Pontão solicita então que seja oficializado tal remanejamento para repassar a toda Comissão o que foi atendido na tarde do dia 18. Consideramos que o não atendimento ao convite pelas autoridades do MinC (pela segunda vez) é uma sinalização negativa sobre a importância que os novos gestores deste Ministério atribuem à interlocução com os movimentos sociais, atualmente organizados, como nunca antes na história deste país.

Diante do relatado, a CNPdC decidiu adotar uma atitude protocolar, ouvindo com respeito e atenção a fala dos servidores, sem no entanto engendrar um debate, nem apresentar questionamentos ou comentários ao exposto. Optamos pelo silêncio protocolar diante da indiferença política (conforme deliberações constantes na ata da reunião da CNPdC, de 18 a 20 de março de 2011).

Cabe ressaltar que os representantes do MinC foram bem recebidos na reunião e fizeram uma exposição de 45 minutos sobre a atual situação do MinC. Ao final de suas falas, foram aplaudidos como forma de respeito e a mesa consultou à plenária se algum participante da reunião gostaria de perguntar algo ou fazer comentário sobre o exposto.

Conforme decisão anterior, nenhum dos presentes se manifestou. Ouviu-se um silêncio em protesto pela não presença da ministra.

A mesa então agradeceu novamente a presença dos funcionários, houveram aplausos e todos foram convidados para um café. É importante frisar que os funcionários do MinC permaneceram no local do encontro, foram convidados para jantar com os representantes da CNPdC e se confraternizaram com muitos deles, tornando evidente a existência de laços de amizade com vários integrantes desta Comissão e não haver qualquer animosidade pessoal contra os mesmos.

O silêncio foi uma decisão política, coletiva, decidida pela CNPdC por aclamação em resposta à pouca disposição real para o diálogo manifestado pela Ministra Ana de Hollanda e seus secretários neste delicado momento de transição no MinC que contabiliza corte orçamentário da ordem de 25% em toda a pasta enquanto o orçamento do Programa Cultura Viva sofre uma redução da ordem de 55%.

A Comissão Nacional dos Pontos de Cultura reivindica urgentemente o pagamento das dívidas de todos os editais e o lançamento de novos editais. A CNPdC, como representante dos 27 estados brasileiros e de 30 representações temáticas que contemplam os mais diversos segmentos dos fazeres e saberes culturais do Brasil, quer aqui reafirmar a sua disposição para o diálogo com este Ministério e com o governo da presidenta Dilma Rousseff, na condição interlocutores de um contingente de cerca de 8.000.000 (oito milhões) de brasileiros, segundo dados do IPEA/2010, beneficiados por uma politica pública de cultura e que se tornou referência de democratização da cultura no Brasil e no mundo: o programa Cultura Viva!

Na oportunidade apresentamos nossa agenda política para o primeiro semestre de 2011.

AGENDA DA CNPdC

Dia 18 de abril
Ato Nacional nas capitais dos 27 estados. O Movimento realizará atos nas regionais do Minc e onde não houver regional o ato acontecerá em espaços tradicionais de manifestações artísticas e políticas.

Dia 25 de maio
Caravana dos Pontos de Cultura rumo à Brasilia e reunião da CNPdC - Continuidade com melhorias. Anistiar, ampliar e democratizar.

Dia 25 de maio: noite
Plenária com a todos os pontos presentes.

Dia 26 e 27 de maio
Reunião da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura.

Na certeza de que é através do diálogo que construíremos a democracia que queremos, despedimo-nos cordialmente.

Comissão Nacional dos Pontos de Cultura

quinta-feira, 24 de março de 2011

Proposta a 3ª Teia Centro Oeste

Participação de cururueiros de Mato Grosso no Teia Centro Oeste


Durante a reunião da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura nos dias 18 a 20 de março de 2011 na cidade de Pirenópolis – Goiás, representantes de Pontos de Cultura do Centro Oeste presentes discutiram e propõem a convocação da 3ª Teia Regional do Centro Oeste e do 4º Fórum de Pontos de Cultura do Centro Oeste.

Diante da situação colocada para o movimento é necessária a realização de encontros regionais,conforme foi decidido na Teia Nacional 2010 em Fortaleza. O Estado de Mato Grosso apresentou-se como alternativa de local para a realização do evento.

E a reunião apresentou as seguintes condições para serem analisadas pelos pontos de cultura dos estados do Centro Oeste – Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Data Proposta: 15, 16 e 17 de julho de 2011 (com alternativa para 22, 23 e 24 de julho de 2011)
Local Proposto: Cuiabá – Mato Grosso.
Fórum dos Pontos de Cultura do Centro Oeste: com participação de 01 representante de cada ponto, num total de 198 pontos de cultura.
Mostra Artística: 02 apresentações de Goiás; 02 apresentações do Distrito Federal; 02 apresentações do Mato Grosso do Sul; 09 apresentações do Mato Grosso.

Estima-se uma participação de 250 pessoas no evento.

Pontos presentes

1. Pontão de Cultura República do Cerrado / UFG – Goiânia/GO – Virgílio Alencar
2. Pontão CUCA Araguaia – Barra do Garça/MT – Leandro Nery
3. Ponto Invenção Brasileira – Brasília/DF – Walter Cedro
4. Ponto Invenção Brasileira – Brasília/DF – Chico Simões
5. GT Teatro – Ponto Arte que Transforma – Tangará da Serra/MT – Joeli Siqueira
6. Pontão Guaicuru – Campo Grande/MS – Andréa Freire
7. Ponto COEPI – Pirenópolis/GO – Patrícia Ferraz
8. Pontão CUCA DF - Brasília/DF – Mateus Guimarães

terça-feira, 22 de março de 2011

22 de março - "Água para as cidades: respondendo a um desafio urbano"

Água: condição indispensável à vida na Terra.

O Dia Mundial da Água, 22 de março, foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU), com o objetivo de abrir espaço às discussões sobre os diversos temas relacionados a esse recurso natural e, como primeira ação marcante, na data de sua criação, 22 de março de 1992, o organismo mundial divulgou a Declaração Universal dos Direitos da Água. Nesse documento está disposta uma série de medidas, sugestões e informações que servem para despertar a consciência ecológica da população e dos governantes para a questão.

Vale lembrar também que o período de 2005 a 2015 foi proclamado pela ONU como a Década Internacional para a Ação “Água para a Vida”.

A cada ano um novo tema é escolhido para orientar as discussões e ações que são desenvolvidas para marcar a data. Este ano o tema em foco é “Água para as cidades: respondendo a um desafio urbano”.

Para o superintendente de Recursos Hídricos da Sema, Luiz Henrique Noquelli, a escolha do tema deste ano tem uma grande relevância. “A maioria da população mundial vive em cidades, isso vem fazendo com que os centros urbanos cresçam rápido e de forma desordenada, afetando seriamente a disponibilidade e distribuição de água à população”.

Água e sustentabilidade: premissas de toda sociedade contemporânea

As comemorações no Mato Grosso

O secretário de estado do Meio Ambiente, Alexander Torres Maia abriu agora a pouco, no Auditório Pantanal, da Sema, o Ciclo de Palestras em comemoração ao Dia Mundial da Água.

O secretário lembrou a importância desse recurso para a sobrevivência humana e falou das ações voltadas para a sustentabilidade, destacando a necessidade de que cada vez mais o poder público invista em melhorias no saneamento básico. “O monitoramento, a fiscalização e a outorga são alguns dos instrumentos fundamentais para a gestão dos recursos hídricos”, disse Alexander Maia ao comentar que o governo do estado, por meio da Sema, vem investindo nessas ações com o objetivo de compatibilizar a utilização desse recursos, garantindo que todos tenham acesso à água de qualidade e em quantidade suficiente para suprir suas necessidades ao mesmo tempo, em que cuida para que sejam causados os menores danos possíveis ao meio ambiente.

Durante o Ciclo de Palestras em comemoração ao Dia Mundial da Água, evento promovido pelas superintendências de Recursos Hídricos e de Monitoramento de Indicadores Ambientais, a Sema lançou os relatórios de Monitoramento da Qualidade da Água das Regiões Hidrográficas do Paraguai, Amazônica e Araguaia-Tocantins.

O superintendente de Recursos Hídricos da Sema, Luiz Henrique Noquelli explicou que o consumo desse bem tem aumentado de forma expressiva no mundo e também em Mato Grosso. “A gestão racional e sustentável desse recurso já é uma preocupação da Sema uma vez que aproximadamente 90% do abastecimento de água dos municípios são provenientes de águas subterrâneas”.

Mais informações sobre o tema consulte o site da Sema, http://www.sema.mt.gov.br/, no link Recursos Hídricos.

Legislação

As questões hídricas em Mato Grosso são alicerçadas na Lei nº 6.945, de 1997, que regulamenta a Política Estadual de Recursos Hídricos em consonância com a Lei nº 9.433, também de 1997, que trata da Política Nacional de Recursos Hídricos.

O crime de Sharpeville: Imperioso lembrar para jamais repetir, ou imitar

Ontem, 21 de março, foi um dia especial para a cultura negra. Há exatos 51 anos, 69 crianças, mulheres e homens negros foram assassinados em praça pública pelo exército sul-africano no bairro de Sharpeville, na cidade de Johannesburgo. Motivo: terem saído às ruas, pacificamente, para reivindicar a extinção da Lei do Passe, que os obrigava a portar cartões de identificação com o registro dos locais por onde lhes era permitido circular.

O crime do regime do Apartheid da África do Sul ficou conhecido como O Massacre de Sharpeville. E motivou a instituição do Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial, pela Organização das Nações Unidas (ONU). Uma data que o Brasil, a maior Diáspora Africana do continente americano, tem razões, infelizmente, para relembrar.

O Governo Brasileiro, em articulação com a sociedade civil organizada, tem dado passos largos para desestabilizar a mentalidade que constrói tragédias como a de Sharpeville. As políticas de ações afirmativas, que elevaram consideravelmente o número de negros e negras nas universidades públicas; e a sanção do Estatuto da Igualdade Racial, marco histórico para a construção da igualdade de oportunidades entre negros e não-negros, são dois dos mais recentes passos da política de inclusão para o acesso aos bens econômicos e culturais do País.

Mas ainda há muito a enfrentar.

Plano de Ação Brasil-EUA para a Promoção da Igualdade Étnica e Racial

Uma rápida análise do noticiário é suficiente para identificar manifestações de racismo na sociedade brasileira. Em 13 de janeiro deste ano, por exemplo, os seguranças de um supermercado em São Paulo foram acusados de apreender, ilegalmente, uma criança de 10 anos, sob acusação de furto e gritos de “negrinho sujo e fedido”. Depois de submeter o garoto a humilhações, os seguranças encontraram em seu bolso o ticket que comprovava que ele pagara pelos objetos sob suspeita…

No Carnaval baiano deste ano, mais um indicativo de discriminação. O líder da banda de pagode Psirico acusou um empresário, em plena Avenida, sob as luzes das câmeras de TV, de tê-lo chamado de “preto” e “favelado”. Os casos ganharam destaque nos veículos de comunicação de massa, mas são apenas dois exemplos, dentre diversos outros registrados em notas de rodapé ou em Boletins de Ocorrência Policial.

O caldo de cultura que baseia tais ataques à identidade de descendentes de africanos está, sem sombra de dúvida, entrelaçado com o perfil dominante das mortes violentas no País, que vitimam, em sua maioria, jovens negros, segundo estudos sobre violência urbana da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O mesmo caldo que motivou o assassinato dos jovens sul-africanos.

E os brasileiros têm consciência da força simbólica do racismo. Não foi à toa que festejaram a eleição do presidente Barack Obama nos Estados Unidos da América. Um negro no comando da mais poderosa nação do mundo emite simbolismo oposto ao que guia as mãos e as vozes que agridem a identidade dos negros e negras no Brasil e no mundo.

Não foi à toa também que, das conversas com a presidenta Dilma Rousseff, tenha constado a agenda da cultura negra. Para além dos resultados imediatos da discussão sobre o Plano de Ação Conjunta Brasil-Estados Unidos para a Eliminação da Discriminação Étnico-racial e Promoção da Igualdade, que norteou a pauta sobre o assunto, há os efeitos simbólicos da visita em si de Barack Obama sobre a identidade negra no Brasil.

Efeitos previsivelmente positivos. Um dos muitos que, esperamos, serão gerados em 2011, instituído pela ONU como o Ano Mundial dos Afrodescendentes.

Artigo de Eloi Ferreira de Araujo, presidente da Fundação Cultural Palmares, publicado originalmente no Correio Braziliense, sob título “O crime de Sharpeville”.

Movimento Negro discute Plano para a Promoção da Igualdade Racial

Nos dias 21, 23 e 24 de março, organizações do movimento negro brasileiro e estadunidense se encontrarão para discutir o Plano de Ação Conjunta Brasil-Estados Unidos para a Promoção da Igualdade Étnica e Racial (JAPER).


Brasil, um país multiétnico - Imagem ilustrativa

O acordo diplomático, assinado pelos dois países em 2008, visa realizar ações governamentais nas áreas de educação, saúde, cultura, comunicação, justiça ambiental e segurança pública. Espera-se que o Plano JAPER, que ainda segue a passos lentos, seja impulsionado esse ano com a declaração da ONU de que 2011 é o Ano Mundial dos Afrodescendentes, e a visita do presidente Barack Obama, que aconteceu nos dias 19 e 20 em Brasília e no Rio de Janeiro.

Na pauta das reuniões, informes sobre a atuação da sociedade civil frente às ações governamentais do Plano e apresentação da versão inicial do portal JAPER, um espaço virtual colaborativo criado para monitoramento do Plano por organizações sociais e que visa também facilitar o diálogo entre projetos sobre a questão racial dos dois países.

O primeiro encontro deve ocorreu ontem, 21 de março, na cidade do Rio de Janeiro, no Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio, às 13h. No dia 23, em Salvador, as organizações se encontrarão na Casa do Benin, Pelourinho, às 17h. Já no dia 24/03, será a vez da cidade de São Paulo, quando as organizações se reunirão no Conselho de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra, no Centro da cidade, às 17h. As reuniões são abertas ao público em geral.

JAPER - acordo diplomático entre Brasil e EUA assinado em 2008

Convidados para os encontros

Para essas reuniões, foram convidados os professores e ativistas Kimberle Crenshawn e Clarence Lusane, pontos focais para a sociedade civil do JAPER nos Estados Unidos, além de serem reconhecidos pesquisadores da questão racial nos Estados Unidos.

Kimberle é professora da Columbia University e um dos nomes mais importantes da “Teoria Crítica de Raça” nos EUA. É também fundadora do African American Policy Forum, um instituto dedicado a questão racial, justiça, gênero e direitos humanos sediado na Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA).

Já Clarence Lusane é Phd em Ciências Políticas pela Howard University e há mais de trinta anos escreve sobre direitos humanos, raça e relações internacionais. Clarence é autor do recém publicado livro “The Black History of The White House”, sobre as relações raciais na política estadunidense.

Também foram convidados para os encontros os órgãos governamentais envolvidos com o Plano para falarem sobre seus planejamentos para o JAPER em 2011, como a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR) e Embaixada dos EUA.

Para Altair Lira, coordenador geral da Federação Nacional das Associações de Pessoas com Doença Falciforme (FENAFAL) e um dos pontos focais da sociedade civil brasileira, este encontro será um importante momento para articular o movimento negro em várias partes do país em torno do JAPER, “não somente para o conhecimento sobre o Plano Brasil-EUA, mas para ampliar a base de discussão do mesmo na sociedade. Este é o momento da análise e discussão das propostas e uma ótima oportunidade de articulação social entre grupos com interesses tão afins quanto a comunidade afro-brasileira e a afro-americana”.

segunda-feira, 21 de março de 2011

Congresso Brasileiro de Teatro acontece neste mês

Cartaz divulgação do Congresso

Nos dias 26 e 27 de março de 2011, a cidade de Osasco, através de sua Secretaria de Cultura, sediará o Congresso Brasileiro de Teatro. Proposto pela Cooperativa Paulista de Teatro e com o apoio da Rede Brasileira de Teatro de Rua, o Congresso espera reunir mais de 150 representantes de teatro de todo o país, entre movimentos, redes, cooperativas, associações, sindicatos, acadêmicos, fóruns, grupos e companhias.

O objetivo é estabelecer as plataformas de luta da categoria para os próximos anos, debatendo a necessidade de implantação de um programa nacional de fomento ao teatro – o Prêmio Teatro Brasileiro, assim como as diretrizes do Plano Setorial de Teatro que faz parte do Plano Nacional de Cultura. Os impedimentos que o teatro de rua vem sofrendo no país em apresentações públicas também ganharão espaço no Congresso.

O Congresso Brasileiro de Teatro ocupará a Escola de Artes de Osasco (Avenida Tenente Avelar Pires de Azevedo, 360 – Centro) e terá a seguinte programação:

Dia 26/03

10h - Abertura com a presença do Prefeito de Osasco Sr. Emídio Pereira de Souza
- Cezar Viera – A história dos últimos congressos de teatro no Brasil - O encontro de Arcozelo em 1979
- Luis Carlos Moreira – O processo de construção do programa Prêmio Teatro Brasileiro

14h - Plenária e debate sobre:
- Prêmio Teatro Brasileiro
- Plano Setorial de Teatro
- Os impedimentos sofridos pelo teatro feito na rua

19h - Apresentação teatral da Trupe Olho da Rua, de Santos, com “Terra Papagalli”, no calçadão Antônio Agu. (Em frente ao Shopping Plaza/Centro de Osasco.)

Dia 27/03 (Dia Mundial do Teatro)

9h – Plenária

14h – Aprovação da carta do Congresso Brasileiro de Teatro.

19h – Encerramento com apresentação da Cia dos Ventos, de Osasco, com “O Preço do Feijão”, no calçadão Antônio Agu. (Em frente ao Shopping Plaza/Centro de Osasco).

Em Mato Grosso, o Teatro Experimental de Alta Floresta é quem está articulando os grupos para o Congresso.

Mais informações podem ser obtidas pelo email - contato@teatroexperimental.com.br

domingo, 20 de março de 2011

Confira a programação da Semana do Teatro

"Amure" e a Véia Péia, mágica contadora de histórias

Hoje comemoramos nosso dia, o Dia do Contador de Histórias. E é um prazer ser chamado assim. Meu nome é Van César, professor, graduado em Artes com Habilitação em Artes Plásticas e especialista em Literatura Infanto Juvenil e Ensino. Minha monografia de especialização foi na área do conto, especialmente o conto maravilhoso e o conto de fadas.

"Amure", espetáculo selecionado no Edital Microprojetos na Amazônia Legal

Assim como eu, o Teatro Ogan e o Ponto de Cultura Ninho do Sol têm um carinho especial por esses mágicos profissionais que encantam a todos com seu "carregamento de histórias", como bem disse Marina Colasanti em seu conto "Com sua voz de mulher", já postado neste blog.

Algumas boas experiências com a contação de histórias fazem parte do histórico do Teatro Ogan, a exemplo de "Feiurinha para Crianças", de Pedro Bandeira, espetáculo premiado em vários festivais no Estado.

Outras experiências foram os contos "Cinco ciprestes vezes dois" também de Marina Colasanti e recentemente o conto "O Baú das Histórias" de Gail E. Haley, narrado na primeira edição do Programa Balaco Baco, uma iniciativa do Ponto de Cultura Ninho do Sol, apresentado na Rádio Liberdade FM, que vai ao ar sempre aos sábados, das 11h30 às 13h.

A mais recente experiência do Teatro Ogan tem sido a montagem do espetáculo "Amure", em contação de histórias, que será apresentado no Fringe 2011 nos próximos dias 07 a 10 de abril, um evento que faz parte do Festival de Teatro de Curitiba (FTC), no Paraná.

A Véia Péia, que dá nome a um dos abrigos arqueológicos no Rio do Sangue

Sobre "Amure"

O espetáculo traz uma contadora de histórias, a Véia Péia, personagem que narra as lendas e mitos dos Paresí-Haliti através da história de Toni, um jovem indígena que tem a missão de resgatar os valores culturais de seu povo, numa viagem em busca de seu passado imemorial.

Nas palavras da Véia Péia:

'Venho de muito longe, minha criança
Venho da noite do tempo!
Meu destino é aqui e lá

Minha sina é vento
Meu lamento é canção
Meu alimento é um pedaço de biju
Oferecido por um dócil viajante
Com amor no coração

Venho de muito longe, minha criança
Para contar minha história até onde ela se tornou nossa.
Vou contar a história do meu povo, o dócil povo Haliti
Uma história dos índios Paresí que habitam o Chapadão inóspito e triste
Que habitam uma terra que foi chamada a muito tempo de Serra do Norte.

Contam os mais velhos que antigamente não existia ninguém, só Enorê...'


Assim começa uma viagem pelas mazelas que o povo Haliti passou, desde os dias atuais, a colonização, as Missões jesuíticas, a nova Marcha para o Oeste promovida por Mal. Rondon e o contato com os primeiros bandeirantes.

E essa velha conduzirá a todos nessa viagem, falando da beleza da Terra dos Parecis, rumo ao passado mítico, até o dia da criação do mundo na região de Ponte de Pedra, para ao fim revelar quem ela é.

E ela encerra as histórias:

'Você está ouvindo? É o som das flautas sagradas, que guardam a linguagem das serpentes, na Casa da Jararaca. Já está amanhecendo, e elas logo vão parar de tocar... É minha hora de partir!'

sábado, 19 de março de 2011

20º Fescaju - Festival da Canção de Juina

Imagem ilustrativa

PROGRAMAÇÃO DO FESTIVAL

Início das Inscrições – 18/03/2011
Final das Inscrições – 15/04/2011

Categoria: Amador Adulto GOSPEL
Ensaio: 02/05/2011 - a partir das 15h - Centro de Eventos
Apresentação: 05/05/2010 - a partir das 21h - Centro de Eventos

Categoria: Amador Infantil
Ensaio: 03/05/2011 - a partir das 15h - Centro de Eventos
Apresentação: 05/05/2011 - a partir das 21h - Centro de Eventos

Categoria: Amador Adulto
Ensaio: 04/05/2010 - a partir das 19h - Centro de Eventos
Apresentação: 06/05/2010 - a partir das 21h - Centro de Eventos

Final e Premiação
07/05/2010 - a partir das 21h, no Centro de Eventos: Final das categorias
08/05/2010 - a partir das 21h, no Centro de Eventos: Premiação

CLASSIFICAÇÃO

Categoria Amador Infantil
Categoria Amador Adulto
Categoria Amador Adulto Gospel

PREMIAÇÃO

1o LUGAR - 1.000,00 e troféu em cada categoria
2o LUGAR - 700,00 e troféu em cada categoria
3o LUGAR - 500,00 e troféu em cada categoria

Vencedor da categoria Gospel recebendo prêmio das mãos do prefeito municipal

ARTIGO 15 - No ato das inscrições os participantes deverão entregar:
a) Cópia da certidão de nascimento ou CPF e RG, devidamente autenticado;
b) Cópia de CPF e RG devidamente autenticados do responsável quando menor;
c) 01 (um) CD com a música original gravada;
d) Descrição da tonalidade a ser interpretada pelo candidato;
e) A letra da música, digitada 02 vias em fonte arial, tamanho 12 e título em negrito contendo o nome da música, compositor, intérprete (cantor) e candidato;
f) Ficha de inscrição devidamente preenchida.

Vanderlei Guollo e Ogan são partes do livro "O Teatro Mato-grossense – História, Crítica e Textos” de Agnaldo Rodrigues

Van Cesar com o livro de Agnaldo Rodrigues

O fundador do Grupo de Teatro Ogan de Campo Novo do Parecis teve seu trabalho reconhecido pelo escritor Agnaldo Rodrigues da Silva, que acabara de lançar o livro “O Teatro Mato-grossense – História, Crítica e Textos” (Editora Unemat - 2010). Vanderlei Guollo teve um de seus textos, montado pelo Grupo Estilo de Teatro, publicado na obra, considerada referência para estudos teatrais do estado.

No livro que trata não apenas de aspectos atuais, mas de toda a história das artes cênicas matogrossenses, Agnaldo Rodrigues, que já escreveu vários outros livros, esmiúça a história do teatro desde o século XVIII até o final da primeira década do século XXI.

Vanderlei é citado na parte do livro que fala sobre os autores e dramaturgos matogrossenses. O texto do espetáculo “A Princesa e o Pastor”, escrito por ele e encenado pelo Grupo Estilo de Teatro também faz parte da publicação (Pág. 213). "Me sinto honrado por estar ao lado de grandes autores do teatro matogrossense, como Amaury Tangará, Agostinho Bizinotto, Flávio Ferreira e Wanderson Lana", disse.

Van Cesar é diretor de Cultura da Secretaria de Educação de Campo Novo e atua no teatro local desde 1994. Atualmente é diretor artístico do Teatro Ogan. Suas peças já foram premiadas em todo o estado de Mato Grosso. Em 2009 ele recebeu o prêmio de Melhor Diretor no Festival Matogrossense de Teatro ocorrido em Rondonópolis.

Hoje, Van Cesar trabalha o texto de seu novo espetáculo: "Amure"; proposta nova de contação de histórias que será apresentada nos dias 09 e 10 de abril em Curitiba, Paraná, no Fringe 2011.

Teatro Ogan
O Teatro Ogan, fundado em maio de 1995, também é citado no livro na parte dedicada aos grupos teatrais de Mato Grosso. Na citação o autor do livro faz um relato sobre a história do grupo, destacando os espetáculos montados ao longo de quase 16 anos e a parte sociocultural que ele desenvolve na cidade de Campo Novo e região (Pág. 155).

O autor
Agnaldo Rodrigues da Silva é de Cáceres, MT. Pós-doutor em Letras, professor da Universidade do Estado de Mato Grosso, membro do Instituto Histórico e Geográfico de Cáceres e membro acadêmico do Núcleo Internacional de Letras e Artes da Academia Brasileira de Literatura. É autor de vários outros livros, com destaque a “O futurismo e o teatro” (2002) e “Mente Insana” (2008).

Nota
Como diretor-presidente do Teatro Ogan não poderia deixar de parabenizar o Vanderlei Guollo (meu mestre) pela grande performance que faz há quase duas décadas junto, não apenas ao teatro, mas à cultura de Campo Novo do Parecis; e também ao pós-doutor Agnaldo Rodrigues pela grande obra (livro de cabeceira dos teatreiros matogrossenses).

Em nome do Teatro Ogan agradeço a este mestre (Van Cesar) pela sabedoria a nós repassada sem cobrar nada em troca e parabenizá-lo pelo trabalho em prol à Arte, sem a busca do reconhecimento e dizê-lo, que este, vem automaticamente em consequência do resultado alcançado ao longo dos anos. E lembrá-lo: o estágio é outro, mas a luta continua. Parabéns Mestre!

Juína realizará encontro de Hip Hop em abril

Imagem Ilustrativa

O “4º Encontro Juinense de Hip Hop” acontecerá no espaço da Casa da Cultura Juinense no dia 03 de Abril de 2011.

Com batalha de Break, exposição de desenhos, workshop, momento de fé, apresentações artísticas de teatro, dança e música gospel.

O objetivo do encontro é difundir a cultura Hip Hop no Município, possibilitar o surgimento do fazer artístico através do Break, contribuir para o processo de aprendizagem instigando os participantes e a comunidade em geral a refletir sobre a arte Hip Hop e a partir disso desenvolver-se dentro de um determinado grupo social de maneira responsável.

O hip hop visa contribuir para a diversidade cultural, criando alternativas de entretenimento como forma de valorização da obra de arte e promover novas possibilidades de conhecimento e técnicas através de workshop.

As informações sobre inscrições dos grupos e artistas interessados em participar do evento deverão ser solicitadas com os coordenadores do grupo MUNDIAL BREAK pelo email encontrohiphopjuina@gmail.com. Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo: com Lucas ou Fernando.

Programação
8h as 10h - Workshop de Break
14h as 14h30 - Momento de Fé
16h as 18 h - Batalhas de B-boys

Fonte: TV Record de Juína

O Contador de Histórias e a importância da leitura em sua vida

Roberto Carlo Ramos é Pedagogo, Mestre em Educação pela Unicamp, Pós-Graduado em Literatura Infantil pela PUC-MG, membro da Associação Internacional dos Contadores de Histórias e Valorizadores da Expressão Oral Mundial, sediada em Marselha (França). Em 2001 foi eleito como um dos dez maiores contadores de histórias da atualidade em Seattle, nos Estados Unidos.

Ilan Brenman e a "Arte de contar histórias"

sexta-feira, 18 de março de 2011

"Com sua voz de mulher" - Contadores de Histórias

Marina Colasanti cria, neste texto, uma contadora de histórias, um deus que enuncia algo, mas que assim o faz com sua voz feminina, com sua voz de mulher...

Marina Colasanti, premiada autora de livros infantis no Brasil

Com sua Voz de Mulher

Aquele deus era dono daquela cidade como um mortal seria dono de fazenda ou sítio. Não era grande a cidade. O templo, casas, e campo ao redor. Mas porque era dono daquela cidade, o deus era também responsável pela felicidade dos seus habitantes.

E um dia, pelas preces, percebeu que os habitantes não eram felizes.

- Nada lhes falta, disse o deus, em voz alta. Cuido para que as estações se sigam em boa ordem. Garanto-lhes colheita no campo e comida na mesa. Nenhum grão apodrece nas espigas. Nenhum ovo gora nos ninhos. E seus filhos crescem. Por que então não são felizes?

Porém os homens desconhecem as perguntas dos deuses. E embora tivesse falado em voz tão alta que poderia ser ouvida de uma estrela a outra, ninguém lhe respondeu.

A cidade estava na palma da mão do deus. E ainda assim tão longe que ele não via os sentimentos daquelas pessoas.

- Irei até lá, disse a alta voz. Entre eles, verei melhor que se passa.

E tendo decidido, abriu seus imensos guarda-roupas à procura de uma identidade com a qual apresentar-se no mundo dos mortais. Havia ali peles e couros de todos os animais, da lisa pele da gazela à áspera couraça do rinoceronte. O pescoço da girafa pendia de um cabide, plumas coloridas despontavam na prateleira e numa gavetinha enfileiravam-se as preciosas carapaças dos insetos. Mas dessa vez não seria como animal que desceria à terra. Remexeu entre as peles dos humanos, suspendeu uma escura, bronzeada de sol, hesitou por um instante. Depois escolheu a mais lisa e macia, fechou-se bem dentro dela, cobriu-se com uma túnica. E desceu.

E eis que aquela mulher de longos cabelos apareceu na cidade dizendo que era deus, e ninguém acreditou. Fosse deus, teria vindo como guerreiro, herói, ou homem poderoso. Fosse deus, apareceria como leão, touro bravio ou águia lançando-se das nuvens. Até o crocodilo e a serpente poderiam abrigar deus em seu corpo.

Mas uma mulher vinda das ruas estreitas nada mais podia ser que uma mulher.

E assim o deus prendeu seus longos cabelos sobre a nuca e foi procurar um trabalho. Mas a uma mulher não se dá trabalho de ferreiro, nem se põe na carroça a conduzir cavalos. Uma mulher não é aquela que comanda soldados. Uma mulher não é sequer aquela que conduz o arado. E depois de muita procura, o deus-mulher só conseguiu empregar-se em uma casa para ajudar nas tarefas domésticas.

Era uma boa casa a que a acolheu. A esposa diligente, o marido trabalhador. Poeira não se juntava nos cantos, embora a trouxessem em suas sandálias. E os filhos cresciam como crescem filhos que não tem doenças. Porém, pouco sorriam. Cumpriam suas tarefas de dia. À noite juntavam-se no estábulo para aproveitar o calor dos animais. As mulheres fiavam. Os homens consertavam ferramentas ou faziam cestos. Ninguém falava. As noites eram longas depois de longos dias. Os humanos se entediavam.

Até mesmo o deus, de fuso na mão, se entediava. E uma noite, não suportando a mesmice dos gestos e do silêncio, abriu a boca e começou a contar.

Contou uma história que se havia passado no seu mundo, aquele mundo onde tudo era possível e onde viver não obedecia regras pequenas como as dos homens. Era uma longa história, uma história como ninguém nunca havia contado naquela cidade onde não se contavam histórias. E as mulheres ouviram de olhos bem abertos, enquanto o fio saía fino e delicado entre seus dedos. E os homens ouviram esquecidos de suas ferramentas. E o menino que chorava adormeceu no colo da mãe. E as outras crianças vieram sentar-se aos pés do deus. E ninguém falou nada enquanto ele contava, embora em seus corações todos estivessem contando com ele.

A noite foi curta aquela noite.

Na noite seguinte, reunidos todos no estábulo, como todas as noites, o deus não falou. As mulheres olhavam para ele de vez em quando, por cima do fuso. Os homens evitavam fazer barulho, deixando o silêncio livre para ele.

Todos esperavam. Mas as crianças, que brincavam com o deus-mulher durante o dia, vieram juntar-se ao seu redor.

Uma puxou de leve a saia do deus-mulher e pediu:

- Conta!

E com sua voz de mulher o deus contou.

Assim, noite após noite, o deus entregou suas histórias à família como até então lhes havia entregado as frutas maduras cheias de sementes. E não apenas àquela família, porque logo o vizinho da frente soube, e à noite apresentou-se com os seus no estábulo também para ouvir. E depois foi a vez do vizinho do lado. E em pouco tempo o estábulo estava cheio, e as pessoas amontoavam-se nas janelas e porta.

Agora, durante o dia, enquanto aravam, martelavam, enquanto erguiam o machado, os homens lembravam-se das histórias que tinham ouvido à noite, e tinham a impressão de também navegar, voar, cavalgando trovões e nuvens como aquelas personagens. E as mulheres estendiam lençóis como se armassem tendas, repreendiam o cão como se domassem leões, e atiçando o figo chuçavam dragões. Até o pastor com suas ovelhas não estava mais só, e as ovelhas eram sua legião.

Os homens sorriam debruçados sobre suas tarefas, as mulheres cantavam e tinham gestos amplos nos braços, e as crianças se enrodilhavam estremecidos de medo e prazer. O tédio havia desaparecido.

Foi quando uma mulher que havia estado no estábulo passou a repetir as histórias do deus para outros habitantes da cidade. Repetir exatamente, não. Aqui e ali acrescentava coisas, tirava outras e cada história, sendo a mesa, era outra. Mais do que contar, recontava. Depois houve um rapaz, que também. E, o tempo passando, ninguém mais podia dizer com certeza de onde tinha vindo esta ou aquela história, e quem a havia contado primeiro.

Ninguém podia dizer, tampouco, qual o paradeiro daquela mulher de longos cabelos presos sobre a nuca, que um dia havia aparecido na cidade vinda não se sabe de onde. E que em outro dia havia partido com seu carregamento de histórias.

Marina Colasanti
Longe como o meu querer
Editora Ática – 1992
Brasil

quinta-feira, 17 de março de 2011

Semana do Teatro inicia em 19 de março

Ciclo de palestras e apresentações teatrais para celebrar os dias 20 (Dia Nacional e Mundial do Teatro para a Infância e Juventude) e dia 27 (Dia Mundial do Teatro).


Tekoha - Ritual de Vida e Morte do Deus Pequeno

Dia 19 de março de 2011
Sábado – 10h
Praça da República

Apresentação do espetáculo Nacional “Tekoha”
Teatro Imaginário Maracangalha de MS – Circulação FUNARTE

Dia 20 de março de 2011 – (Dia Mundial do Teatro para Infância e Juventude)
Domingo – 16h30
Praça Santos Dummont

Apresentação do espetáculo do Grupo Aqueles Dois – “Umas e Outras”

Apresentação do espetáculo de bonecos “Bons Companheiros”, de Carlão dos Bonecos.

Mesa de Debates

Dia 22 de março de 2011
Terça-feira – 19h
Pavilhão das Artes – Salão Nobre

História Recente do Teatro de Mato Grosso – Séc. XX
Convidados: Luiz Carlos Ribeiro, Djalma Jabuti, Carlos Gatass
Mediação: Ivan Belém

Dia 23 de março de 2011
Quarta-feira – 19h
Pavilhão das Artes – Salão Nobre

O Teatro e a Educação
Convidados: Carlos Roberto Ferreira, Yandra Firmo, Maria Thereza Azevedo.
Mediação: Eduardo Espíndola

Dia 24 de março de 2011
Quinta-feira – 19h
Pavilhão das Artes – Salão Nobre

O Teatro Hoje em MT: Estéticas e Fronteiras.
Convidados: Tatiana Horevicht, Benone Lopes, Tibanaré, Maurício Ricardo
Mediação: Luiz Marchetti

Dia 25 de março de 2011
Sexta-feira – 20h
Cine Theatro Cuiabá

Apresentação do espetáculo “Anjo Negro”, de Sandro Lucose
Aberto à classe teatral mediante cortesia

Dia 27 de março de 2011 (Dia Mundial do Teatro)
Domingo – 16h30
Parque Mãe Bonifácia

Cortejo Cênico com Escola-Circo Leite de Pedras

20 de março - Dia do Contador de Histórias

O dia 20 de março é o dia do Contador de Histórias. Esta data foi criada em 1991 na Suécia para valorizar os contadores de histórias e hoje é comemorada em diversos países, inclusive no Brasil.

Contadora de histórias em "Brincando de Faz-de-Conta"

Credo do Narrador Oral

Creio no contador, como memória viva do amor e creio em seu filho, e no filho de seu filho, e no filho de seu filho, porque eles são a estirpe da voz, os criadores da terra e do céu das vozes: voz das vozes.

Creio no contador, concebido nos espelhos da água, nascido humilde, tantas vezes negado, tantas vezes crucificado, porém nunca morto, nunca sepultado, porque sempre ressuscitou dos vivos congregando-os a ser: xamã, fabulista, contador de histórias...

Creio na magia que na entrada das cavernas acendeu o primeiro fogo que reuniu como estrelas: o assombro, o tremor, a fé.

Creio no contador, que desde os tempos tribais a todos antecedeu para alcançar-nos por que é.

Creio em suas mentiras fabulosas que escondem fabulosas certezas, no prodígio de sua invenção que vaticina realidades insuspeitas, e também creio na fantasia das verdades e nas verdades da fantasia, por isso creio nas sete léguas das botas, na serpente que antes foi inofensiva galinha, e no gato único no mundo, aquele gato que ao miar lançava moedas de ouro pela boca.

Creio nos contos de minha mãe, como minha mãe acreditou nos contos de minha avó, como minha avó acreditou nos contos de minha bisavó e recordo a voz que me contava para afastar a enfermidade e o medo, a voz que recordava os conselhos entesourados pela mãe para passá-los ao filho;

— Não te desvies do teu caminho.
— Nunca faças de noite o que possas te envergonhar pela manhã.

Creio no direito da criança escutar contos; e mais, creio no direito das crianças vivas dentro dos adultos de voltar a escutar os contos que povoaram sua infância; e mais, creio nos direitos dos adultos desde sempre e para sempre de escutar contos, outros novos contos.

Creio no gesto que conta, porque em sua mão desnuda, despojadamente desnuda, está o coelho.

Creio no tambor que redobra, porque o que haveria sido do mundo se não tivesse sido inventado o tambor, se a poesia não reinventasse o mundo dentro de nós, se o conto, ao improvisar o mundo, não o reordenasse, se o teatro não desvelasse a cerimônia secreta das máscaras e por isso...

Por que creio, narro oralmente.

Creio que contar é defender a pureza, defender a sabedoria da ingenuidade, defender a força da indagação.

Creio que contar é compartilhar a confiança, compartilhar a simplicidade como transparência da profundidade, compartilhar a linguagem comum da beleza.

Creio que contar É AMOR.

Garzón Céspedes

quarta-feira, 16 de março de 2011

Orquestra de Mato Grosso abre temporada 2011

Curso Livre de Teatro

O Pavilhão das Artes abre inscrição para o primeiro módulo do Curso Livre de Teatro, que terá início no dia 04 de abril e encerra-se no dia 15 de dezembro. As aulas serão nas terças e quintas-feiras, das 18h às 21h.


PROGRAMAÇÃO

Dramaturgia e Roteiro

Ementa: Oportunizar a criação da escrita, instrumentalizando e disponibilizando um espaço de produção textual permanente, gerando novos autores – dramaturgos e roteiristas.

Com Maira Jeannyse (diretora teatral com formação na UNIRIO-RJ, pós graduação em cinema e mestranda em Estudos de Cultura Contemporânea)

Inscrições abertas no Pavilhão das Artes
3613 9230 ou dialogocontemporaneo@gmail.com
Juliana Capilé
http://ciapessoaldeteatro.blogspot.com
(65)3631 2955 / (65) 8111 2597

Galpão promove 12º Festival de Cenas Curtas

Flyer de divulgação do Festival de Cenas Curtas

Faça sua inscrição para a 12ª edição do Festival de Cenas Curtas do Galpão Cine Horto. O edital, a ficha de inscrição e as informações completas podem ser encontrados no site: http://www.galpaocinehorto.com.br/

As inscrições estão abertas para artistas de todo o Brasil!

Maiores esclarecimentos:
TIAGO PENNA
Assessor de Comunicação
(31) 3481- 5580 / 9308-8359
www.galpaocinehorto.com.br

segunda-feira, 14 de março de 2011

Leandro toma posse como secretário de Educação e Cultura

Rozenilde disse que a pasta é complicada e que sempre tentou fazer o melhor.

Secretário Leandro, Prefeito Mauro e ex-secretária Rozenilde na passagem de cargo

O ex-vereador Leandro Martins (PT) foi empossado na manhã desta segunda-feira, 14, como o novo secretário Municipal de Educação e Cultura. O suplente Arlei Leite, o Arlei do Posto Norte (também do PT), assume em seu lugar na Câmara Municipal. Antes de Leandro, a pasta já foi comandada por Gonçalo Poquiviqui e Rozenilde Castro.

Na ocasião de transmissão de cargo Rozenilde disse que a pasta é complicada e que sempre tentou fazer o melhor. “Agradeço toda equipe que me ajudou a desenvolver trabalhos durante este tempo que estive frente à Secretaria. Sempre tentamos fazer o melhor e embora a Educação seja uma pasta complicada, aprendi muito e desejo que o novo Secretário possa fazer um ótimo trabalho”, enfatiza Rozenilde.

Pelo fato de Leandro ser do Partido dos Trabalhadores, o prefeito Mauro Berft (PMDB) disse acreditar que facilitará o diálogo com a Secretaria de Estado de Educação e Ministério da Educação, pastas conduzidas por representantes petistas.

Leandro, que é professor formado em Educação Física, se comprometeu em realizar trabalhos que venham somar em qualidade de educação e cultura no município.

Por Alexandre Rolim - Parecis.Net

A necessidade da Arte!

Democracia: para refletir...

Dia Nacional da Poesia IV

Poesia de Manoel de Barros recitada na terceira edição do Programa Balaco Baco, em 12 de março de 2011.

Manoel de Barros, maior poeta brasileiro vivo da atualidade

Manoel de Barros é um "bardo" genuinamente matogrossense, nascido em Cuiabá em 1916. Este cuiabano de "tchapa e cruiz" é considerado o maior poeta brasileiro vivo da atualidade. Manoel de Barros é um gênio de quase 100 anos de idade. E as pessoas brincam: "Um novo homem há de surgir, será Manoel de Barros que irá trazê-lo?"

Preste atenção nas palavras do poema "A maior riqueza do homem" e vocês entenderão o que querem dizer.

A maior riqueza do homem
é a sua incompletude.
Nesse ponto sou abastado.
Palavras que me aceitam como
sou - eu não aceito.
Não aguento ser apenas um
sujeito que abre
portas, que puxa válvulas,
que olha o relógio, que
compra pão às 6 horas da tarde,
que vai lá fora,
que aponta lápis,
que vê a uva etc. etc.
Perdoai
Mas eu preciso ser Outros.
Eu penso renovar o homem
usando borboletas.


Manoel de Barros

Dia Nacional da Poesia III

Poesia de Julia Cameron recitada na terceira edição do Programa Balaco Baco, em 12 de março de 2011.

Julia Margareth Cameron, autora do best seller "O caminho do artista"

Do livro de auto-ajuda "O caminho do artista" retiramos esta poesia. A autora do livro é a norte-americana Julia Cameron. Este livro, que nós indicamos a todos os leitores, é considerado pelos estadunidenses a bíblia da criatividade.

Palavras de Salvação

Gostaria de pegar as palavras
E dobrá-las como farrapos frios e úmidos.
Colocaria palavras em sua fronte.
Envolveria seus pulsos com palavras.
“Lá, lá”, minhas palavras diriam –
Ou algo melhor.
Eu pediria que murmurassem,
“Hush” e “shh, shh, está tudo bem”.
Eu pediria que elas o abraçassem a noite inteira.
Gostaria de pegar as palavras
E revestir e acalmar e esfriar
Onde a febre empola e queima,
Onde a febre faz você voltar-se contra si mesmo.
Gostaria de pegar as palavras
E curar as que fossem feridas
Para as quais você não tem nomes.


Julia Cameron

Centro Cultural apresenta nova logomarca

Logomarca do Centro Cultural, uma alusão à cultura indígena de Campo Novo do Parecis

O Centro Cultural de Campo Novo do Parecis, que tem a finalidade de promover e incentivar a produção e dinamização das atividades artístico-culturais, sendo um espaço de fruição e criação de bens que contribuem para a formação da identidade cultural de nosso município, tem nova logomarca.

A mesma, confeccionada por Betho Nonenmacher, segue os padrões da etnia Paresí-Haliti, os matukulydios - desenhos decorativos presentes na cestaria, pintura corporal e encontrados em baixo relevo nos sítios pré-históricos da região, como o Abrigo da Prainha e o Abrigo da Véia Péia.

A inspiração da logomarca veio do desenho de uma peneira, trançada por Dilso Zokezomae, um dos cinco grandes artesãos indígenas da Terra Indígena Utiariti.

As cores fazem uma alusão ao preto do jenipapo e ao vermelho do urucum, muito utilizados pelos indígenas na pintura corporal.

A mudança da logo se deve à busca de uma identidade para a cultura de nosso município, presente nas diretrizes da Lei nº 1.398, de 23 de dezembro de 2010, que criou o Sistema Municipal de Cultura de Campo Novo do Parecis.

"Divas no Divã" - Revelação em Brasnorte

Franciele Almeida, dando vida à personagem da diva

O Grupo Revelação de Teatro, um dos muitos grupos em atuação em Campo Novo do Parecis, esteve no último dia 10 de março em Brasnorte, apresentando o espetáculo "Divas no Divã", de autoria de Cris Linhares e direção de Fran Almeida, em comemoração ao Dia Internacional das Mulheres.

O evento, promovido pela Prefeitura daquele município através da Secretaria de Promoção Social e Trabalho, atraiu um grande público feminino que prestigiou o espetáculo e se identificou com o mesmo, principalmente com a protagonista, uma mulher com sucesso profissional e financeiro, porém solitária, insatisfeita e com baixa auto-estima.

A personagem alimenta desejo secreto de ser igual a uma diva, uma personagem dos filmes românticos. Na ânsia para que esse seu desejo se torne realidade, ela encontra o personal treinner da felicidade, uma pessoa que a ajudará a realizar esse seu desejo.

Momentos do espetáculo "Divas no Divã", de Cris Linhares

O Grupo Revelação, em atuação há mais de oito anos, já representou Campo Novo em outros eventos regionais, a exemplo do Festival Matogrossense de Teatro e do Festival Estadual de Teatro São Gonçalo (Fetesg), sendo inclusive premiado em vários deles.

domingo, 13 de março de 2011

"Ouro de Tolo" - Momento Nostalgia no Balaco Baco

Profeta do apocalipse, louco, místico fundamentalista, parceiro de extra terrestres...

Raulzito, o maluco beleza, deixou saudades eternas

Aparentemente qualquer pessoa com essas tendências seria vista pela sociedade com uma certa reserva, mas quando ela mistura tudo isso num caldeirão e transforma essas idéias em uma música da melhor qualidade, numa levada rock com pitadas de musica popular tradicional, aí todos param para investigar o que quer dizer aquele sujeito que funde ritmos e sons com uma mensagem esotérica nitidamente fora dos padrões, não deixando que ninguém fique indiferente e saiam por aí cantando suas canções, mesmo que não a entendam.

Acaso o destino tivesse barrado Raul Seixas, bastaria, porém, apenas uma de suas canções para assegurar-lhe eternidade: "Ouro de Tolo". É a música-chave do álbum Krig-Há, Bandolo!, 1973.

Em uma semana, o compacto conseguiu gigantesca popularidade. Naqueles tempos de milagre econômico, a letra autobiográfica de Raulzito soou como sonoro tabefe desferido na cara da classe média. A canção também embalou audaciosa tacada de marketing, bolada por Paulo Coelho, para transmitir aos lares brasileiros preceitos da Sociedade Alternativa.

No dia 7 de junho de 1973, no centro do Rio de Janeiro, Raul Seixas convocou a imprensa e entoou "Ouro de Tolo" em rede nacional. A cena foi exibida no Jornal Nacional e Raul ganhou o Brasil.

Amanhã terão início as Oficinas de Arte

Baby Class do Ninho do Sol em apresentação

Ponto de Cultura Ninho do Sol

Estão abertas as inscrições para as Oficinas de Arte do Ponto de Cultura Ninho do Sol. Neste ano de 2011 serão oferecidas Oficinas de Teatro, Balé, Flauta Doce, Teclado iniciante e avançado, Violão avançado, Artesanato em Chinelos, Patchwork e Patchcolagem, Pintura em Tecido e Arte Francesa. O Ponto de Cultura funciona anexo ao Centro Cultural.

Oficinas de Arte do Centro Cultural

O Centro Cultural informa que na próxima segunda-feira, 14, terão início as Oficinas de Arte. Neste ano de 2011 serão oferecidas as Oficinas de Balé, Dança do Ventre, Danças de Rua, Axé, Danças de Salão, Capoeira, Violão, Banda de Percussão, Pintura em Tela, Desenho com Grafite e Teatro.

O Centro Cultural está situado na sede da Associação de Moradores do Bairro Nossa Senhora Aparecida, na Rua Severino de Lima, 1.206 NE - Bairro Nossa Senhora Aparecida. Telefone: 3904 2095.

Apresentação de Violão no Tablado Cultural, na Expocampo

CRAS Girassol Boa Esperança

As Oficinas de Arte e Artesanato também terão início nesta segunda-feira, 14, na sede do Centro de Referência da Assistência Social - Cras Girassol Boa Esperança. Informe-se sobre todas as atividades no próprio local.

Dança do Fogo no Festival de Capoeira de Campo Novo do Parecis

Telecentro Comunitário

O Telecentro Comunitário, que funciona no Centro Cultural, informa que já está sendo realizado o Curso de Inclusão Digital. Informa ainda que os atendimentos para pesquisa nos terminais de internet podem ser realizados em horário comercial.

Biblioteca Pública Municipal

O atendimento aos usuários está sendo realizados em horario comercial: acesso aos terminais de internet, pesquisas e empréstimo de livros literários. A Biblioteca Pública funciona na Praça da Cultura - Centro. Telefone: 3904 2128.


Lembrando que todas as atividades culturais são oferecidas gratuitamente.

Dia Nacional da Poesia II

Poesia de Cora Coralina recitada na terceira edição do Programa Balaco Baco, em 12 de março de 2011.

Cora Coralina, uma das grandes poetisas brasileira

Cora Coralina, uma das principais escritoras brasileiras, publicou seu primeiro livro aos 76 anos de idade. Cora Coralina é o pseudônimo de Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, que nasceu na cidade de Goiás, Estado de Goiás, no dia 20 de agosto de 1889 e faleceu em Goiânia, em 10 de abril de 1985, aos 96 anos.

Ela foi uma poetisa e contista brasileira, embora mulher simples, doceira de profissão, tendo vivido longe dos grandes centros urbanos, alheia aos modismos literários, e produziu uma obra poética rica em motivos do cotidiano do interior brasileiro, em particular dos becos e ruas históricas de Goiás.

Na poesia "Coração é terra que ninguem vê", Cora Coralina planta amor e colhe ingratidão.

Coração é terra que ninguém vê

Quis ser um dia, jardineira
de um coração.
Sachei, mondei - nada colhi.
Nasceram espinhos
e nos espinhos me feri.

Quis ser um dia, jardineira
de um coração.
Cavei, plantei.
Na terra ingrata
nada criei.

Semeador da Parábola...
Lancei a boa semente
a gestos largos...
Aves do céu levaram.
Espinhos do chão cobriram.
O resto se perdeu
na terra dura
da ingratidão

Coração é terra que ninguém vê
- diz o ditado.
Plantei, reguei, nada deu, não.
Terra de lagedo, de pedregulho,
- teu coração. Bati na porta de um coração.
Bati. Bati. Nada escutei.
Casa vazia. Porta fechada,
foi que encontrei...

Cora Coralina

sábado, 12 de março de 2011

Dia Nacional da Poesia I

Poesia de Casimiro de Abreu recitada na terceira edição do Programa Balaco Baco, em 12 de março de 2011.

Casimiro de Abreu, poeta do período romântico do Brasil

Casimiro de Abreu, poeta romântico, nasceu em 1937 no Rio de Janeiro e faleceu com apenas 23 anos, vítima de tuberculose. Ele lançou apenas um livro de poesias: Primaveras, em 1859.

Meus Oito Anos

Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!

Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais!

Como são belos os dias
Do despontar da existência!
— Respira a alma inocência
Como perfumes a flor;

O mar é — lago sereno,
O céu — um manto azulado,
O mundo — um sonho dourado,
A vida — um hino d'amor!

Que aurora, que sol, que vida,
Que noites de melodia
Naquela doce alegria,
Naquele ingênuo folgar!

O céu bordado d'estrelas,
A terra de aromas cheia
As ondas beijando a areia
E a lua beijando o mar!

Oh! dias da minha infância!
Oh! meu céu de primavera!
Que doce a vida não era
Nessa risonha manhã!

Em vez das mágoas de agora,
Eu tinha nessas delícias
De minha mãe as carícias
E beijos de minha irmã!

Livre filho das montanhas,
Eu ia bem satisfeito,
Da camisa aberta o peito,
— Pés descalços, braços nus

— Correndo pelas campinas
A roda das cachoeiras,
Atrás das asas ligeiras
Das borboletas azuis!

Naqueles tempos ditosos
Ia colher as pitangas,
Trepava a tirar as mangas,
Brincava à beira do mar;

Rezava às Ave-Marias,
Achava o céu sempre lindo.
Adormecia sorrindo
E despertava a cantar!
............................................

Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!

— Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras
Debaixo dos laranjais!


Casimiro de Abreu

Terceiro Programa Balaco Baco é apresentado

Balaco Baco apresentou uma verdadeira salada cultural

A terceira edição do Programa Balaco Baco, uma produção independente do Ponto de Cultura Ninho do Sol é um projeto do Teatro Ogan e Instituto Parecis Cultural, patrocinado pelo Ministério da Cultura e Secretaria de Estado de Cultura.

O espaço é cedido gratuitamente ao Ponto de Cultura pela Rádio Liberdade FM. Conta com o apoio técnico de Sílvia Schneiders, Vanderlei Guollo e Betho Nonenmacher. A apresentação é de Alexandre Rolim.

No Momento Nostalgia, a música "Ouro de Tolo", de Raul Seixas - um maluco que deixou saudades eternas.

No Bate Papo, o assunto foi carnaval - o IX Parê Folia "na Terra dos Parecis" que trouxe a Campo Novo a Banda Santa Bárbara e apresentou o Bloco da Rainha Louca, inserindo elementos regionais através da Cobra Grande. Também a realização do Concurso de Fantasias nas matinés e a segurança efetiva realizada pela Polícia Militar.

Ainda no Bate Papo, o Balaco Baco recebeu o Grupo Revelação de Teatro que apresentou o Espetáculo "Divas no Divã" em Brasnorte no último dia 10 de março de 2011.

Na comemoração ao Dia Nacional da Poesia, 14 de março, a homenagem do Balaco Baco aos "bardos" que enchem nossas vidas com palavras encantadoras que atingem diretamente os nossos corações e ainda deixam nossos dias amargos - mais ternos e serenos.

Na homenagem, poesias de Casimiro de Abreu - "Meus oito anos"; Cora Coralina - "Coração é terra que ninguem vê"; Julia Cameron - "Palavras de Salvação"; e Manuel de Barros - "A maior riqueza do homem".

No Momento Musical, o Balaco Baco recebeu o Grupo de Pagode Opção, formado por Marquinhos, Cajá, Lagoa, Aurélio e Léo. As músicas apresentadas: "Toma jeito coração"; "Abandonado"; e "Isso é kaô". O Grupo Opção estará na noite de hoje, dia 12, na Lanchonete Popular, no Jardim das Palmeiras e amanhã no Robertinho Lanches.

Ninho do Sol abre inscrições para Oficinas

A coordenação do Ponto de Cultura Ninho do Sol definiu os dias e horários das oficinas de arte e artesanato que farão parte do Plano de Trabalho neste ano de 2011.

Portfólio - Oficinas de Arte e Artesanato 2010

Os oficineiros, contratados através de Processo Seletivo, atenderão na sede do Ponto de Cultura, na Unidade Prisional e no Distrito de Mal. Rondon. São eles:

Artes Cênicas - Fábio Lima;
Música - Eduardo da Silva;
Música - Welder da Vitória;
Artesanato - Marilene Ferreira.

Na Oficina de Cultura Afro não houve inscritos para o Processo Seletivo e a coordenação definirá nas próximas semanas qual oficina será oferecida no lugar.

Como se Inscrever

As inscrições são gratuitas e estão abertas desde quinta-feira, 10. Para se inscrever é necessário levar uma foto 3 X 4 e preencher o Formulário de Inscrição. Serão oferecidas as seguintes oficinas:

Oficinas de Artes Cênicas - Teatro e Balé

Oficinas de Música - Flauta Doce, Violão Avançado e Teclado

Oficinas de Artesanato - Patchwork, Pintura em Tecido, Chinelos e Arte Francesa

sexta-feira, 11 de março de 2011

Antene-se!

Logo do Programa Balaco Baco

Terceiro Programa Balaco Baco acontece amanhã, 12 de março, das 11h30 às 13h, na Rádio Liberdade Fm - 102,5.

A organização é uma produção independente do Ponto de Cultura Ninho do Sol e a programação é toda voltada para a cultura local e regional, porque o Balaco Baco é algo muito bom!

Ouça o programa no seu computador: http://www.listacnp.com.br/

Florestas e Antas: Videoconferências são realizadas

Vídeoconferências: Teatro Experimental e Celeiro das Antas

Foi realizada o segundo seminário através de videoconferência entre os grupos Celeiro das Antas e Teatro Experimental de Alta Floresta.

Estes encontros virtuais são ações previstas no projeto de pesquisa 'Florestas e Antas: experiências teatrais - em busca de um teatro possível' que os grupos vêem desenvolvendo desde o mês de novembro de 2010 e que tem como intuito intercambiar as estéticas e as formas de manutenção, para a definição de meios de produção artística.

Celeiro das Antas: intercâmbios em busca de um teatro possível

O estudo dirigido teve como foco o Planejamento Estratégico Situacional e seus desdobramentos no trabalho de grupo. Após discussão do tema proposto os integrantes relataram as suas percepções individuais acerca das experiências proporcionadas pela execução do projeto que tem patrocínio do Itaú Cultural, através do Programa Rumos Itaú Cultural Teatro.

Encontro Presencial

Foi fechada na tarde de ontem, 10 de março, todos os detalhes acerca do primeiro encontro presencial entre os Grupos Celeiro das Antas e Teatro Experimental: integrantes do grupo brasiliense estarão em Alta Floresta nos dias 18, 19 e 20 deste mês.

A proposta dos encontros presenciais está pautada no acompanhamento do dia-a-dia do grupo anfitrião. Para tanto, o Teaf está montando uma agenda que inclui a participação em reuniões com empresariado local, início das atividades do Ponto de Cultura Teatro Experimental no ano de 2011, Seminário de Estudos Teatrais e o Embebed'art.

Mais informações sobre o projeto podem ser acessadas no blog - http://www.teatroflorestaseantas.blogspot.com/

Com Assessoria TEAF

IX Parê Folia: sucesso absoluto "na Terra dos Parecis"

Banda Santa Bárbara, animando os foliões na Praça de Eventos

A 9ª edição do Parê Folia "na Terra dos Parecis" que neste ano ocorreu entre os dias 04 e 08 de março, contou com a presença de um grande público na Praça de Eventos. Cerca de 15 mil pessoas compareceram e prestigiaram a Banda Santa Bárbara, de Curitiba-PR, que esquentou os cinco dias de folia em Campo Novo do Parecis.

Cleonice, a Rainha Louca e sua corte

O Bloco da Rainha Louca compareceu durante todas as noites e animou a galera com sua proposta irreverente. O bloco também foi responsável por inserir e agregar os elementos simbólicos de nossa região: os personagens caracterizados e vestidos com tecido chitão e a ala da Cobra Grande, onde uma jararaca com os matukulydios trabalhados no "couro" entrou acompanhada de indígenas representando a cultura Paresí-Haliti de Campo Novo.

Cobra Grande empolgando os foliões

Outros blocos que também compareceram e animaram as noites de folia foram o To a Tôa, Blocão, Seu Cuca É Eu, Cafofo du Osama e Geração Coca-Cola.

O tradicional Concurso de Fantasias que acontece nas matinês de domingo e terça-feira premiou com brinquedos e jogos pedagógicos as melhores fantasias infantis masculino e feminino. O destaque foi para a "Diabinha" que conquistou a todos com seu carisma.

Um grande público compareceu na Praça de Eventos

Na terça-feira, 08, foram premiados os melhores foliões, fantasias adultas e os detaques desta edição, patrocinado pela Popular Materiais para Construção, Novitá, Nova Era Recapadora, Inviolável e Relojoaria Pagliari:

Melhor Folião/Foliã
Didião, "da Água";
Maurício Costa, homenageando todo o Bloco Geração Coca-Cola;
Maria;
Cleonice, a Rainha Louca.

Bloco Geração Coca-Cola, Destaque desta 9ª edição

Melhor Fantasia
Adriano, de Passista;
Leandro Maninho, de Garota de Programa;
Vânia, de Drag Queen;
Jane Toniazzo, de Melindrosa.

Troféu Destaque
Grupo da Melhor Idade Reviver;
Cia de Polícia Militar, responsável pela segurança do evento.

Alexandre Rolim, Diretor Presidente do Teatro Ogan e foliões